Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Nosso Patrono - Biografia Ilustrada do Prof. Carauta

Nosso Patrono - Biografia Ilustrada do Prof. Carauta

Durante a XXV Jornada Fluminense de Botânica, realizada em 2006 na UNIRIO, o ilustre botânico Prof. Jorge Pedro Pereira Carauta recebeu a notícia de que o Herbário da UNIRIO, o HUNI, receberia seu nome: uma singela homenagem a um pesquisador ímpar dentro da História da Botânica do Brasil.

Prof. Carauta - foto da capa corrigida

Jorge Pedro Pereira Carauta nasceu em Marechal Hermes, na cidade do Rio de Janeiro, em 23 de Abril de 1930. Aos 20 anos, em 1950, foi operador de rádio do 1°. Regimento de Obuses na Vila Militar do Rio de Janeiro. Trabalhou como escriturário do Ministério da Saúde entre os anos de 1953-54, graduou-se em História Natural pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 1955. 

Lecionou Ciências Naturais de 1958 a 1963, foi professor de supletivo de 1963 a 1966 e ingressou no Herbário Alberto Castellanos (GUA) em 1973. Terminou seu mestrado em Botânica Sistemática pelo Museu Nacional/UFRJ em 1977. No final da década de 70, foi o responsável pela formalização da Seção do Rio de Janeiro da Sociedade Botânica do Brasil (SBB).  

Em 1980, junto com o prof. Alexandre de Gusmão Pedrini, idealizou e organizou a I Jornada Fluminense de Botânica, na Universidade Santa Úrsula. 

 

 

Prof. Carauta - 1975

 

Prof. Carauta - Congresso 1979

Em 1981, como resultado da sua participação na gestão da Seccional Rio de Janeiro da SBB, publicou, o primeiro número das "Atas da Sociedade Botânica do Brasil - seção Rio de Janeiro".

Em 1988, termina seu doutorado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Prof. Carauta no Passeio Público

Seu interesse por Ciências Naturais, que remontava aos seus tempos de infância, e sua formação em História Natural, permitiram que ele atuasse como geólogo, zoólogo, ecólogo, botânico e ainda, editor de periódicos. Sua facilidade em aprender línguas também era conhecida, tendo fluência na leitura de 7 idiomas, dentre eles, catalão e latim. 

Prof. Carauta com alunos

O Prof. Carauta colaborou com seus conhecimentos e sua maneira de ensinar, com seu grande entusiasmo e sua famosa capacidade de organizar excursões botânicas. Para isso, usou suas habilidades não só de botânico, mas de montanhista e escalador. Foi alpinista e membro do Centro Excursionista Rio de Janeiro, onde atuou como guia nos anos 50 e 60, tendo recebido uma homenagem concedida a poucos: uma das vias de escalada no Morro Dois Irmãos, no Rio de Janeiro, recebeu seu nome: Paredão Professor Carauta (Ilha e Duarte, 1983). 

Foi por dominar a técnica de escalada em rocha que conseguiu publicar, em conjunto com o Prof. Rogério Ribeiro de Oliveira o trabalho “Fitogeografia das Encostas do Pão de Açúcar”, editado pelo Cadernos da FEEMA, série Trabalhos Técnicos nº 2/82, de abril de 1982.

Prof. Carauta escalando

Foi Professor Associado do Departamento de Botânica do Museu Nacional/UFRJ (onde continuou trabalhando, mesmo após sua aposentadoria), membro da Linnaean Society of Botany, colaborador do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, fundador e editor chefe da Revista Albertoa. Aposentou-se como biólogo Analista de Ecossistemas do Herbário Alberto Castellanos, atualmente Serviço de Ecologia Aplicada do INEA, no ano 2000, continuando como pesquisador voluntário até 2002. 

Neste mesmo ano, com Benjamin Ernani Diaz, lançou o livro “Figueiras no Brasil” pela Editora da UFRJ, com apoio da FAPERJ. O livro conta a história da planta que acompanha o homem desde as antigas civilizações, sendo considerada “a mais venerada em todos os cantos do universo”, e traz ainda um inventário minucioso sobre a presença de 50 espécies de Ficus em solo brasileiro. Publicou também o artigo "A história das figueiras ou gameleiras", em parceria com Adriana Brügger Alves e Angelo da Cunha Pinto publicado no site do Projeto i-Flora: biodiversidade, química e biologia, do Instituto de Química da UFRJ. 

Em 2002, o Prof. Carauta apoiou, com entusiasmo o Projeto de Revegetação na face leste do Pão de Açúcar, executado pelo ambientalista Domingos Sávio Teixeira, alpinista e coordenador do Projeto, abrindo espaço no periódico Albertoa para a publicação do artigo Reflorestamento na face leste do Morro do Pão de Açúcar, Rio de Janeiro - RJ, do qual foi um dos autores, constituindo um registro científico sobre a recuperação ambiental do local. 

Prof. Carauta no Pão de Açúcar

Continuando seu trabalho sobre o Pão de Açúcar, em 2007 o Prof. Carauta participou do livro "Bondinho do Pão de Açúcar - 95 anos da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar", publicado pelo Andrea Jakobsson Estúdio Editorial, escrevendo o capítulo “Plantas do Conjunto Pão de Açúcar, Urca e Cara de Cão”. 

Prof. Carauta na Cláudio Coutinhoi

O lançamento do livro foi bastante festejado e virou notícia em alguns sites, como o da Revista Fator Brasil. Devido a sua grande capacidade de ensinar e a seu vasto conhecimento, o Prof. Carauta participou, como convidado, de programas de televisão sobre educação ambiental, ecologia e botânica. Dentre eles, destacam-se os programas Ecosenado, sobre a Floresta da Tijuca, em 2007, e o Episódio 60 do Programa "Um pé de quê?", do Canal Futura, em 2013. Para assisti-los, basta clicar nos links.

Prof. Carauta na Praia Vermelha

 

Com ênfase às famílias Moraceae e Urticaceae, às quais dedicou grande parte de seus estudos, o Prof. Carauta possui mais de 7200 coletas distribuídas entre 164 famílias botânicas, sendo 76 typus. 

Por conta desta vasta contribuição no campo da Taxonomia Vegetal, ele recebeu inúmeros títulos e homenagens diversas vezes ao longo de sua carreira:

- em 1970, como membro da International Association for Plant Taxonomy;

- em 1976, como membro da The Torrey Botanical Club, a mais antiga Sociedade Botânica das Américas; 

- em 1977, como membro da The Linnean Society of London;

- em 1982, recebeu, do então governador do Rio de Janeiro, Antônio de Pádua Chagas Freitas, o Diploma de Bons Serviços Prestados;

- em 1994, recebeu o Diploma de participação na construção da FEEMA, Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente, sucedida pelo atual INEA (Instituto Estadual do Ambiente);

- em 1998 foi homenageado como Presidente de Honra do VIII Encontro de Biólogos do Rio de Janeiro e Espírito Santo;

- em 1999 recebeu a Medalha Mérito do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro), por sua valorosa contribuição aos estudos botânicos;

- também em 1999 recebeu o Diploma de Honra ao Mérito do Conselho Regional de Biologia dos Estados Rio de Janeiro e Espírito Santo (CRBio-02);

- as Coleções de Moraceae e Urticaceae do Herbário Guido Pabst (GFJP) são dedicadas ao Prof. Carauta, uma homenagem do amigo e fundador do Herbário, Prof. Lúcio Leoni.

Prof Carauta e Prof Leoni

Além disso, recebeu, nada menos, que 13 epítetos específicos em espécies botânicas com seu nome:

 

Logo HUNIEm 2006, durante a XXV Jornada Fluminense de Botânica, a comissão organizadora preparou uma surpresa para o Prof. Carauta: como a instituição organizadora do evento foi a UNIRIO, o Herbário HUNI foi batizado com seu nome: Herbário Prof. Jorge Pedro Pereira Carauta. Em 2013, a sede da XXXII Jornada Fluminense de Botânica foi a Universidade Federal Fluminense (UFF) e, mais uma vez, o Prof. Carauta foi o homenageado: a planta símbolo da Jornada foi Pilea carautae M.D.M.Vianna & R.J.V.Alves, uma espécie da família Urticaceae, cujo nome foi dado em sua homenagem. 

Outras homenagens na mesma edição da XXXII Jornada foram: a apresentação de slides pela Profa. Ariane Luna Peixoto, do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, que gentilmente cedeu algumas fotos apresentadas neste site, e o trabalho intitulado "Pedro Carauta - Naturalista e Botânico", em forma de Resumo e Painel, pelas biólogas Karla C. G. Reis e Valéria F. Paiva, do Museu Nacional. Apesar de biólogas, elas realizaram um verdadeiro trabalho jornalístico: entrevistaram o Prof. Carauta e produziram um rico material a seu respeito, com fotos, depoimentos, ensinamentos e curiosidades. 

Prof. Carauta na figueira

Prof. Carauta abraçado às raízes de uma figueira, na Urca

Ao longo de seus quase 60 anos de carreira, o Prof. Carauta orientou mais de 80 alunos, incluindo orientações de iniciação científica, aperfeiçoamento, mestrado e doutorado. Hoje em dia, grande parte de seus eternos alunos, trabalha e/ou leciona em universidades brasileiras, compartilhando, assim, o conhecimento passado pelo Prof. Carauta como professor e transmitindo um pouco da sua sabedoria e generosidade.

Prof. Carauta e Anderson F. P. Machado

Além da Botânica, o Prof. Carauta também dedicou sua vida à espiritualidade, à fé e a causas filantrópicas. Ele era extremamente religioso e vinculado à Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares, sendo conhecido com Irmão Pedro. Como para os carmelitas, fraternidade, serviço e contemplação são valores essenciais, o Prof. Carauta fez destes valores parte da sua vida e partilhou-os com sua família, amigos e alunos. 

O Prof. Carauta faleceu no dia 8 de outubro de 2013. Após sua morte, seus alunos publicaram, na Revista Albertoa, uma pequena homenagem em forma de artigo (Sic vos non vobis: in honour to the Botanist Pedro Carauta) contando um pouco sobre a vida do sábio, mestre, professor, botânico e, sobretudo, generoso amigo.

Nós, do HUNI, mais uma vez, homenageamos o querido Prof. Carauta através desta página, no site do Herbário que leva seu nome. Para nós, é uma grande responsabilidade e honra. Esperamos fazer jus a esse raro privilégio.

  

Prof. Carauta, Karla e Valéria

As autoras

Esta resenha foi escrita por Sandra Zorat Cordeiro, curadora do HUNI, com a colaboração das biólogas Valéria Ferrão Paiva (esquerda) e Karla Cristina Garcia dos Reis (direita), que gentilmente disponibilizaram parte das informações, fotos e materiais visuais sobre o Prof. Carauta contidos neste site.

 

 

 

Agradecimentos

Sem a colaboração de muitos, reunir estas informações sobre o Prof. Carauta seria, simplesmente, impossível. Desta forma, o HUNI e nós, Sandra, Karla e Valéria, gostaríamos de agradecer sinceramente a todos aqueles que gentilmente contribuíram com informações, fotos e imagens e autorizaram o uso de artigos e vídeos do Prof. Carauta por este site:

Símbolo verde claro Pindorama Filmes (realizadora do programa Um Pé de quê?), em especial a Lara Goes, Assistente de Produção Executiva

Símbolo verde claro Dr. Anderson Ferreira Pinto Machado (Universidade Federal da Bahia) 

Símbolo verde claro Prof. Angelo da Cunha Pinto (Projeto i-Flora/Instituto de Química da UFRJ) - in memorian

Símbolo verde claro Profa. Ariane Luna Peixoto (Jardim Botânico do Rio de Janeiro) 

Símbolo verde claro Prof. Lúcio S. Leoni (Herbário Guido Pabst)

Símbolo verde claro Profa. Maria Mércia Barradas (Instituto Biológico

Símbolo verde claro Rafael Villaça e Waldecy Mathias Lucena (Centro Excursionista do Rio de Janeiro

Símbolo verde claro Revista Albertoa

Símbolo verde claro Rose Lemos Piotto (Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares

Símbolo verde claro Domingos Sávio Teixeira (Blog Projeto Pão de Açúcar Verde - Recuperação Ambiental no Pão de Açúcar

Símbolo rosa  Agradecemos à família do Prof. Carauta, em especial a César Mendes Pereira e Nilton Carauta, por autorizarem a disponibilização online dos artigos do Prof. Carauta publicados na Albertoa. 

Prof. Carauta no MN

 

Bibliografia citada

ILHA, A.; DUARTE, L. 1983. Catálogo de Escaladas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Flumitur, 1983. 49 p. 

Menu

Página Inicial

Histórico

Patrono

Acervo

- Coleção Claudia Bove

Serviços

Equipe

Colaboradores

Parcerias

Projetos de Extensão   

- Canto das Flores ONLINE  Novo 3

     Logo Coleção Didática - definitivo

Fale conosco

Divulgação

HUNI na mídia

Eventos

Agradecimentos

 

ACESSO AO ACERVO HUNI

>>> JABOT <<<

     Logo HUNI sem nome 

>>> SPECIES LINK <<<

     Logo HUNI sem nome

Nossas mídias sociais: 

Logo Facebook   Logo Instagram

 

Apoio

Logo FAPERJ

 

 

 

 

Colaboração

              JBRJ

 INCT

SpeciesLink