Você está aqui: Página Inicial / Profa. Dra. Luciana Quillet Heymann

Profa. Dra. Luciana Quillet Heymann

Bacharel e licenciada em História (UFRJ), mestre em Antropologia Social (Museu Nacional/UFRJ) e doutora em Sociologia (IUPERJ). Pesquisadora da Casa de Oswaldo Cruz da Fundação Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) e professora do Programa de Pós-Graduação em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde (Fiocruz) e do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Documentos e Arquivos (Unirio). De 1986 a 2018 integrou a equipe do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getulio Vargas (CPDOC/FGV), onde atuou como pesquisadora e professora associada da Escola de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais. No CPDOC, foi coordenadora do Setor de Documentação (1999-2002), do Programa de História Oral (2007-2011) e do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (2012-2016), além de editora da revista Estudos Históricos (2012-2016). Vice-presidente da Associação Brasileira de História Oral (ABHO) e editora da revista História Oral (2016-2018). Integra os seguintes Grupos de Pesquisa certificados pelo CNPq: "Arquivos e bibliotecas: apropriações teóricas e aplicações metodológicas" e "Arquivos Pessoais, Patrimônio e Educação".Desenvolve pesquisas no campo da história e da sociologia da memória, com especial atenção para os seguintes temas: arquivos pessoais, instituições de memória, políticas públicas de memória e usos do passado em contextos de luta por direitos.

luciana.heymann@fiocruz.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/7697379577056048

Projeto de Pesquisa no Programa: Os papéis do cientista: configurações e usos de arquivos pessoais de cientistas sociais.

Resumo: O projeto retoma o investimento em arquivos pessoais, desenvolvido em projetos anteriores (que resultaram no livro. O lugar do arquivo: a construção do legado de Darcy Ribeiro, entre outras publicações), tomando como objeto empírico o arquivo do sociólogo José Arthur Rios, depositado na Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), onde está sendo organizado. A COC também abriga os arquivos de Anthony Leeds, Carlos Alberto Medina e Oracy Nogueira. O projeto tem por objetivo discutir os processos de constituição de arquivos pessoais de cientistas sociais, tanto da perspectiva da acumulação documental como de sua posterior institucionalização, bem como refletir sobre as potencialidades desses arquivos para pesquisas sobre a história das ciências sociais e para a divulgação científica. Sem desconsiderar as contingências que marcam os processos de produção de acervos por parte de indivíduos, a ideia é refletir sobre essa categoria de titular, buscando avançar na discussão sobre o tipo de documentação que reúnem e os desafios colocados para os responsáveis por sua organização e disponibilização em ambientes institucionais.