Você está aqui: Página Inicial / Profa. Dra. Junia Gomes da Costa Guimarães e Silva

Profa. Dra. Junia Gomes da Costa Guimarães e Silva

Possui graduação em Museologia - Museu Histórico Nacional (1973), graduação em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro ? PUC/RJ (1988), mestrado em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - IBICT/UFRJ (1997) e doutorado em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - IBICT/UFRJ (2003). Trabalhou até abril de 2008 no Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro em diversas áreas: Conservação, Processamento Técnico, História Administrativa. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Processos da Comunicação, e interface com usuários. Trabalha principalmente com os seguintes temas: processos de comunicação de informação, ação comunicativa e metodologias de comunicação de informação, preservação de acervos tradicionais e audiovisuais (conservação preventiva e corretiva em áreas expositivas e reservas técnicas; degradação de bens culturais [agentes agressores e danos]; legislação).Atualmente é professora adjunta do curso de Graduação em Museologia da Escola de Museologia (2010) e integra o Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Documentos e Arquivos (PPGARQ) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO (2010).

juniag2010@gmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4037983278239520

Projeto de Pesquisa no Programa: Conservação de Acervos Audiovisuais: a criação de instrumentos técnico-cientificos.

Resumo: Para atender às demandas modernas é indispensável que os futuros profissionais estejam preparados para lidar com imensa variedade de suportes, desde desenhos em papel até objetos originários do mundo digital, como cds, dvds, passando por fitas de vídeo, fitas cassete, fotografias, filmes etc. A questão do audiovisual nasce desse contexto, voltada para oferecer uma visão contemporânea dos suportes dos bens culturais. Muitas instituições culturais brasileiras (museus, arquivos, bibliotecas, institutos, fundações etc.) possuem Coleções Audiovisuais analógicas (fitas cassete, discos, filmes, fitas de vídeo etc.) ou digitais (cd, dvd etc.), as quais exigem tratamento diferenciado, em termos de identificação, catalogação, conservação, armazenamento, reprodução e acesso, em função das especificidades de seus suportes.