código do Google analytics UNIRIO firma parceria com Ministério da Saúde para fortalecimento do SUS — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoriaImprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

icone de uma filmadora com auto falanteAudiovisual

Você está aqui: Página Inicial / UNIRIO firma parceria com Ministério da Saúde para fortalecimento do SUS

UNIRIO firma parceria com Ministério da Saúde para fortalecimento do SUS

por Comunicação publicado 26/11/2020 01h35, última modificação 26/11/2020 01h45
Contrato de cooperação terá duração de dois anos, período em que o Laboratório de Avaliação Econômica e de Tecnologias em Saúde (Laets) deverá desenvolver 22 estudos

O reitor da UNIRIO, Ricardo Silva Cardoso, assinou um termo de execução descentralizada de recursos da União, por intermédio do Ministério da Saúde, visando ao fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O contrato estabelece cooperação entre a Universidade e a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec). A previsão para início do projeto é dezembro deste ano.

O período de cooperação terá duração de dois anos, ao longo dos quais devem ser desenvolvidos 22 estudos de avaliação de tecnologias em saúde, demandados pela Conitec. O valor repassado à UNIRIO será de R$1.380.000, para pagamento de bolsas aos pesquisadores envolvidos nas atividades.

Os estudos serão desenvolvidos pelo Laboratório de Avaliação Econômica e de Tecnologias em Saúde (Laets), vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF) e em Enfermagem e Biociências (PPGENFBIO), e liderado pelo coordenador do projeto, Roberto Carlos Lyra da Silva.

As pesquisas irão englobar pareceres técnico-científicos, avaliações econômicas em saúde e análises de impacto orçamentário. Segundo o professor, uma tecnologia em saúde só é incorporada depois que estudos avaliativos provarem que ela é efetiva, pelo custo que a sociedade estiver disposta a pagar. “Qualquer tecnologia que o SUS pretenda oferecer à população – serviços, medicamentos ou exames, por exemplo – precisa, antes, ser autorizada pela Conitec”, ressalta.  

Para Lyra, a avaliação de tecnologias em saúde, atualmente, é uma área crucial na gestão em saúde, por envolver o uso racional dos recursos disponíveis, o que implica em uma alocação eficiente desses recursos – principalmente, os financeiros. “Os estudos são necessários para diminuir as incertezas e melhorar o processo de tomada de decisão”, destaca.


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio