código do Google analytics Programa Cultura na Prisão reinaugura biblioteca em penitenciária de Bangu — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoria Imprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

icone de uma filmadora com auto falanteAudiovisual

Você está aqui: Página Inicial / Programa Cultura na Prisão reinaugura biblioteca em penitenciária de Bangu

Programa Cultura na Prisão reinaugura biblioteca em penitenciária de Bangu

por comunicacao — publicado 05/02/2015 16h20, última modificação 10/02/2015 08h54
Acervo foi reorganizado e revitalizado, em uma parceria entre a UNIRIO e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária

O programa de extensão Cultura na Prisão reinaugurou na manhã desta quinta-feira, dia 5 de fevereiro, a Biblioteca Rachel de Queiroz na penitenciária feminina Talavera Bruce, situada no Bairro Bangu.

Com cerca de cinco mil obras, o acervo foi reorganizado e revitalizado pelos integrantes do programa, em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP). A administração será feita por uma detenta que recebeu treinamento profissional da professora da Escola de Biblioteconomia da UNIRIO Maura Tavares.

A cerimônia de reinauguração contou com a presença do vice-reitor da UNIRIO, José da Costa Filho, e do pró-reitor de Extensão e Cultura da Universidade, Diógenes Pinheiro. Também participaram o subsecretário adjunto de Tratamento Penitenciário, Márcio da Silva Rosa, e a diretora da penitenciária Talavera Bruce, Andreia Oliveira da Silveira.

Foi prestada homenagem ao aluno da Escola de Biblioteconomia Silvio Nascimento, que participou do projeto e faleceu em dezembro de 2014. 

Proposta

Coordenado pelas professoras Natalia Fiche e Viviane Narvaes, o programa Cultura na Prisão busca tornar visível o processo de ressocialização do preso e oportunizar uma formação diferenciada para os alunos participantes. O trabalho é dividido entre quatro equipes que atuam nas penitenciárias Talavera Bruce, Unidade Materno Infantil, Esmeraldino Bandeira e Evaristo de Moraes.

Uma vez por semana esses locais recebem oficinas ministradas por estudantes e supervisionadas por professores da Universidade. As atividades visam estimular a aquisição da linguagem teatral e despertar a consciência para a cidadania, proporcionando aos detentos a experimentação, análise e reflexão sobre teorias e práticas da linguagem teatral e seu papel nos processos sociais.


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio