código do Google analytics Livro de professor da UNIRIO aborda a relação de Villa-Lobos com o violoncelo — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoriaImprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

Ícone de uma filmadora na cor branca com findo azulVídeos

Você está aqui: Página Inicial / Livro de professor da UNIRIO aborda a relação de Villa-Lobos com o violoncelo

Livro de professor da UNIRIO aborda a relação de Villa-Lobos com o violoncelo

por comunicacao — publicado 03/06/2013 00h00, última modificação 02/06/2015 10h50

Mais conhecido e estudado por suas obras para piano, violão e orquestra, o compositor Heitor Villa-Lobos (1887-1959) teve o violoncelo como seu primeiro instrumento e, por alguns anos, obteve dele seu sustento. A relação do compositor com o violoncelo e a influência desse instrumento em sua obra são alguns dos aspectos tratados pelo violoncelista e professor da Escola de Música da UNIRIO Hugo Pilger no livro “Heitor Villa-Lobos, o Violoncelo e seu Idiomatismo”, que será lançado este mês, no Rio de Janeiro.

Fruto de dissertação de mestrado defendida em 2012 no Programa de Pós-Graduação em Música da UNIRIO, sob orientação da professora Lúcia Barrenechea, o livro busca analisar e discutir a importância que o violoncelo teve na trajetória de Villa-Lobos, além de identificar os principais elementos idiomáticos que o compositor aplicou e desenvolveu em suas inúmeras obras para o instrumento.

“Podemos perceber a influência do violoncelo, e também do violão, em quase todas as composições de Villa-Lobos, quase como um cheiro que faz lembrar a infância”, compara o pesquisador. Villa-Lobos voltaria a escrever para o instrumento no fim da vida – o que, para Pilger, mostra que o violoncelo nunca deixou de fazer parte da trajetória do compositor.

O autor apresenta uma lista dos recursos idiomáticos criados por Villa-Lobos e analisa como o compositor ampliou os aspectos técnicos do violoncelo por meio de sua escrita inovadora. “Villa-Lobos era muito visceral na hora de compor. Tinha uma facilidade muito grande, era como se a música brotasse dele”, aponta Pilger. O livro aborda também a orquestra de violoncelos, consolidada pelo compositor a partir das obras Bachianas nº 1 e 5 e Fantasia Concertante.

Além do vasto referencial teórico, a obra reproduz em cores imagens e mais de 100 manuscritos de Villa-Lobos, que recuperam aspectos de sua escrita. “O intuito foi reunir um material para que músicos, violoncelistas e estudiosos possam conhecer, entender e, consequentemente, executar melhor a obra de Villa-Lobos”, explica Hugo Pilger.

O lançamento de “Heitor Villa-Lobos, o Violoncelo e seu Idiomatismo” acontecerá no dia 14 de junho, sexta-feira, a partir das 18h, na Livraria da Travessa do CCBB (Rua Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro).


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio