código do Google analytics II Congresso Internacional em Humanidades Digitais teve início com palestra de Lúcia Santaella — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoriaImprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

icone de uma filmadora com auto falanteAudiovisual

Você está aqui: Página Inicial / II Congresso Internacional em Humanidades Digitais teve início com palestra de Lúcia Santaella

II Congresso Internacional em Humanidades Digitais teve início com palestra de Lúcia Santaella

por Comunicação publicado 13/04/2021 18h55, última modificação 20/04/2021 12h06
Pesquisadora da PUC-SP abordou o tema 'O Metabolismo Digital das Humanidades'

Teve início, na última segunda-feira (12), a segunda edição do Congresso Internacional em Humanidades Digitais (HDRio 20/21). A organização é do Laboratório de Preservação e Gestão de Acervos Digitais (Labogad), do Centro de Ciências Humanas e Sociais da UNIRIO, junto com o Instituto Urca e a Associação Brasileira de Humanidades Digitais, e em parceria com instituições nacionais e internacionais.

A atividade de abertura do evento contou com uma palestra de Lucia Santaella, professora titular na pós-graduação em Comunicação e Semiótica e coordenadora da pós-graduação em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (PUC-SP). O tema da palestra foi O Metabolismo Digital das Humanidades. Também participaram da conversa os pesquisadores Jair Martins de Miranda, Alexandra Joy Forman, Luiza Helena Guimarães e Ricardo Del Farra.

Lucia iniciou sua fala com uma retrospectiva dos estudos em humanidades digitais, voltando ao momento em que a área despontava como tema de relevância e interesse. “Em meados da década de 90 eu já estava convencida de que as redes digitais estavam surgindo com força suficiente não só para durar no tempo, mas também para crescer e se multiplicar", disse a pesquisadora.

A partir de então, Lucia partiu para uma análise do Manifesto das Humanidades Digitais, publicado em 2008 por pesquisadores da Universidade de Los Angeles. “Em 2009, inseri esse manifesto como parte dos estudos desenvolvidos em uma disciplina de doutorado em redes móveis”, disse ela. Entre as diretrizes do movimento, ela destacou que as humanidades digitais seriam não um campo unificado, "mas uma gama de práticas convergentes que exploram um universo onde o texto não é mais o único meio exclusivo onde o conhecimento é produzido e disseminado".

Na sequência de sua fala, Lúcia abordou o papel atual da ciência perante o cenário digital e a importância dos big data na forma como produzimos conhecimento. A pesquisadora encerrou sua apresentação fazendo um apanhado do estado da arte das humanidades digitais nos dias de hoje.

O Congresso acontece até a próxima sexta-feira (16) e quem não é conferencista pode assistir às atividades pelo canal audiovisual do HDRio 20/21. Mais informações podem ser obtidas na página do evento e em suas redes sociais. A conferência de abertura está disponível no vídeo abaixo:

 

 


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio