Portal do Governo Brasileiro

Portal de IdentificaçãoWebmail |  Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale Conosco |  Mapa do Site

Você está aqui: Página Inicial / UNIRIO assina acordo de cooperação com INSS para identificar portadores da síndrome de Talidomida

UNIRIO assina acordo de cooperação com INSS para identificar portadores da síndrome de Talidomida

por Comunicacao UNIRIO publicado 09/06/2016 13h55, última modificação 10/06/2016 07h07

Foi assinado nesta quarta-feira, dia 8, no Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG), acordo de cooperação técnica entre a UNIRIO e a Gerência Executiva Norte do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) para promover a identificação de portadores da síndrome de Talidomida.

O acordo visa ao reconhecimento do direito dos pleiteantes à pensão especial e à indenização por danos morais. Além disso, prevê a produção de dados da avaliação médico-pericial para fomentar a produção científica sobre o tema e disseminar educação previdenciária por meio de palestras aos docentes, discentes, servidores e cidadãos-usuários da Universidade.

Estiveram presentes à reunião o reitor da UNIRIO, Luiz Pedro San Gil Jutuca, o vice-reitor, Ricardo Cardoso, o diretor de Pesquisa, Anderson Junger Teodoro, o superintendente do HUGG, Fernando Ferry, o professor de Genética Médica da Escola de Medicina e Cirurgia, Fernando Regla Vargas, o gerente executivo do INSS, Alexandre Maia de Carvalho, e a médica perita do INSS Carla Torres Schmidt. Representando o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, estava a professora da EMC Marília de Abreu Silva.

Desenvolvida na Alemanha na década de 50 e inicialmente utilizada como sedativo, a Talidomida gerou milhares de casos de focomelia, síndrome provocada pela aproximação ou encurtamento dos membros junto ao tronco do feto. Se utilizado durante a gravidez, o medicamento também pode causar defeitos na visão, audição e coluna vertebral e, mais raramente, problemas cardíacos e do tubo digestivo.

Acordo prevê a produção de dados da avaliação médico-pericial para fomentar a produção científica sobre a síndrome e disseminar educação previdenciária por meio de palestras aos docentes, discentes, servidores e cidadãos-usuários da Universidade (Foto: Divulgação)


Acesso a Informação Capes CNPQ