código do Google analytics Novo Código Florestal não garante preservação do meio ambiente, dizem debatedores no CCET — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Portal de IdentidadeWebmail |  Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale Conosco |  Mapa do Site

Centrais de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoInformativo Em Foco

ícone periódicosPeriódicos Científicos

Quadrado com fundo azul escuro e bordas arredondadas com a descrição MEC na cor branca MEC Universidade

Você está aqui: Página Inicial / Novo Código Florestal não garante preservação do meio ambiente, dizem debatedores no CCET

Novo Código Florestal não garante preservação do meio ambiente, dizem debatedores no CCET

por Comso publicado 20/10/2015 12h45, última modificação 26/10/2015 13h25

O Novo Código Florestal, sancionado em 2012, foi tema de debate promovido pela Escola de Engenharia de Produção na noite desta segunda-feira, dia 19, no Centro de Ciências Exatas e Tecnologia (CCET). Participaram da discussão o biólogo Ricardo Silva Cardoso, vice-reitor da UNIRIO, e o engenheiro agrônomo Roberto Resende, presidente da ONG Iniciativa Verde. O decano do CCET, Luiz Amâncio, atuou como mediador.

O evento, que integrou a programação da 13ª Semana de Integração Acadêmica (SIA), teve início com a exibição do filme A Lei da Água (André D’Elia, 2014), documentário que relaciona o novo Código Florestal à crise hídrica no Brasil. Produzido por organizações do movimento ambientalista, o filme evidencia a importância das florestas para a preservação dos recursos hídricos do país.

Após a exibição, os debatedores abordaram a temática, respondendo a perguntas do público sobre conscientização do consumidor, divisão administrativa da terra e aplicação política de instrumentos tecnológicos voltados para a produção agropecuária sustentável, entre outros assuntos.

“Acreditamos na interseção entre os aspectos social e ambiental”, disse Roberto Resende. Segundo ele, a discussão sobre o novo Código com cientistas e ambientalistas foi limitada. “É preciso debater não apenas no âmbito político, mas abordar, também, o aspecto técnico, buscando soluções tecnológicas de baixo custo”, apontou. “A própria questão dos alimentos orgânicos passa pelo conhecimento: é preciso desmistificar o processo de produção”.

O vice-reitor, Ricardo Cardoso, também criticou o novo Código Florestal. “Queremos trazer soluções para os mananciais, mas os políticos não parecem estar preocupados com isso, pois preferem fazer lobby para o agronegócio e para a indústria de agrotóxicos”, lamentou. “Não há uma preocupação com a cadeia alimentar e com o acúmulo nos tecidos humanos de substâncias tóxicas capazes de causar problemas como o câncer”.

O filme A Lei da Água está disponível na internet.

A 13ª SIA prossegue até sábado, dia 24, com palestras, seminário, minicursos, conferência internacional e apresentação de trabalhos de monitoria, pesquisa e extensão. Confira a programação completa.

(Gabriella Praça/Comso)

Da esquerda para a direita: vice-reitor, Ricardo Cardoso; decano do CCET, Luiz Amâncio; e presidente da ONG Iniciativa Verde, Roberto Resende (Foto: Comso)

registrado em:

Acesso a Informação Capes CNPQ Imagem Rede Unirio