código do Google analytics Alunos de Biomedicina são premiados em congresso de mutagênese e genômica ambiental — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoriaImprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

Ícone de uma filmadora na cor branca com findo azulVídeos

Você está aqui: Página Inicial / Alunos de Biomedicina são premiados em congresso de mutagênese e genômica ambiental

Alunos de Biomedicina são premiados em congresso de mutagênese e genômica ambiental

por comunicacao — publicado 12/06/2019 20h05, última modificação 17/06/2019 14h46
Trabalhos abordam tratamento da doença de Chagas e riscos dos suplementos alimentares

Dois alunos do curso de Biomedicina tiveram trabalhos premiados no XIV Congresso Brasileiro de Mutagênese e Genômica Ambiental (Mutagen Brasil), ocorrido na última semana, no município de Bento Gonçalves (RS).

A estudante Bárbara Verena Dias Galvão recebeu o prêmio Alexander Hollaender para Jovens Cientistas, concedido pela Environmental Mutagenesis and Genomics Society, por seu trabalho de iniciação científica. O estudo investiga o potencial etnofarmacológico do extrato da jabuticaba, vegetal cujas folhas apresentam compostos químicos que servem de auxílio no tratamento de diversas doenças – embora também possam ser tóxicos para a saúde humana.

O objetivo era obter um novo fármaco para o tratamento da doença de Chagas, que fosse melhor e menos tóxico que os medicamentos atualmente disponíveis. Os experimentos desenvolvidos pela autora demostram que o extrato apresenta certo nível de efeitos mutagênicos quando usado em altas doses, porém é capaz de matar o Trypanosoma cruzi – parasita causador da doença de Chagas – com concentrações até 20 vezes mais baixas do que aquelas associadas à toxicidade. Bárbara já havia sido premiada anteriormente no Curso de Verão em Biologia Celular e Molecular da USP de Ribeirão Preto.

O trabalho foi orientado pelos professores Carlos Fernando Araujo-Lima, do Departamento de Genética e Biologia Celular da UNIRIO, e Israel Felzenszwalb (IBRAG-UERJ), em colaboração com os grupos de pesquisa das professoras Claudia Aiub (PPGBMC-UNIRIO) e Édira Castelo Branco de Andrade (PPGAN-UNIRIO) e da pesquisadora Maria de Nazaré Soeiro (IOC-FIOCRUZ).

Suplementos

Os professores Felzenszwalb e Araujo-Lima também orientaram o trabalho de iniciação científica do aluno Eduardo Kennedy Carrão Dantas, que recebeu um prêmio de Destaque na área de Nutrigenômica. No projeto, o aluno investigou a toxicidade hepática e mutagenicidade de diversos suplementos alimentares consumidos no mercado brasileiro.

O estudo apontou  o caráter mutagênico, em maior ou menor grau, de todos os três suplementos analisados – tendo um deles causado elevado grau de toxicidade em culturas de células de fígado. Os dados corroboram uma série de casos de falência hepática ocorridos após o consumo desse mesmo suplemento, no estado do Havaí (EUA).

 

Eduardo Dantas ao receber o prêmio (Foto: Divulgação)


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio