código do Google analytics Universidade integra rede internacional de gerenciamento de dados do coronavírus — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoriaImprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

icone de uma filmadora com auto falanteAudiovisual

Você está aqui: Página Inicial / Universidade integra rede internacional de gerenciamento de dados do coronavírus

Universidade integra rede internacional de gerenciamento de dados do coronavírus

por Comunicação publicado 08/04/2020 19h29, última modificação 09/04/2020 22h28
UNIRIO se tornou parceira da “Virus Outbreak Data Network”, por meio do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle

A UNIRIO se tornou parceira da rede Virus Outbreak Data (Vodan), por meio do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG). A rede integra a iniciativa internacional Go Fair, que visa implementar a internet global de serviços de dados Fair no mundo inteiro. A sigla Fair faz referência a dados de pesquisa baseados em critérios abertos de uso e reuso científico, a partir das palavras da língua inglesa findable (“encontráveis”), accessible (“acessíveis”), interoperable (“interoperáveis”) e reusable (“reutilizáveis”).

A Vodan tem o objetivo de promover o gerenciamento de dados dos pacientes que carregam o vírus SARS-CoV-2, que causa a doença Covid-19, popularmente conhecida como coronavírus. Para a coleta das informações, será utilizado o formulário de Pesquisa Clínica Uniforme indicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O gerenciamento dos dados adotará a tecnologia Fair data points, desenvolvida pela iniciativa Go Fair, que possibilitará o seu alinhamento aos princípios Fair em repositórios de dados.

Além disso, está sendo criada uma ontologia e um modelo conceitual simplificado para o projeto Vodan, a fim de permitir que os especialistas implementem o mapeamento semântico necessário e publiquem os dados em um formato RDF, que será 100% automatizado e legível (Fair). Todo o material entregue será "reutilizável", o que significa que o mesmo processo e infraestrutura podem ser usados para qualquer outro surto de vírus.

O projeto foi motivado pelo impacto significativo do surto do vírus na saúde e na economia em todo o mundo, e pela falta de acesso a observações do mundo real, devido a questões éticas e de interoperabilidade.

A acessibilidade aos dados coletados será totalmente compatível com as estruturas reguladoras e de governança, incluindo proteção de dados pessoais e considerações éticas, e será permitida a reutilização desses dados.

A rede Vodan já conta com a participação de mais de 20 países espalhados pelo mundo. A Vodan Brasil tem parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição que está à frente da Rede Vodan-BR. Também são parceiras a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), o Instituto Nacional do Câncer (INCA) e o Instituto de Cardiologia. Efetivamente, os hospitais participantes são o Hospital Albert Einstein de São Paulo e o Hospital Universitário Gaffrée Guinle da Unirio, no Rio de Janeiro. Há, ainda, outros hospitais em negociação para possíveis parcerias.


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio