código do Google analytics Pesquisador da UNIRIO participa de expedição no arquipélago de São Tomé, África — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoriaImprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

Ícone de uma filmadora na cor branca com findo azulVídeos

Você está aqui: Página Inicial / Pesquisador da UNIRIO participa de expedição no arquipélago de São Tomé, África

Pesquisador da UNIRIO participa de expedição no arquipélago de São Tomé, África

por comunicacao — publicado 26/01/2016 17h40, última modificação 27/01/2016 12h09
Registros realizados por Áthila Bertoncini, do Programa de Pós Graduação em Ciências Biológicas - Biodiversidade Neotropical (PPGBIO), irão integrar o primeiro guia ilustrado de espécies de peixes recifais da região

Menor país falante da língua portuguesa, São Tomé e Príncipe é uma nação insular formada por dois arquipélagos, localizados na parte oeste da África e com uma rica diversidade de peixes recifais em sua costa.

Para documentar essa fauna, o pesquisador Áthila Bertoncini, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas - Biodiversidade Neotropical (PPGBIO) da UNIRIO, participou de expedição no arquipélago de São Tomé, realizada em novembro do ano passado, em conjunto com os pesquisadores Nuno Vasco Rodrigues e Jorge Fontes, do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (Mare), de Portugal.

O objetivo foi reunir material fotográfico e em vídeo subaquático para a produção do primeiro guia ilustrado de espécies de peixes recifais de São Tomé, ainda sem previsão de lançamento. Utilizando equipamentos para registros em águas mais profundas, não alcançadas com o mergulho convencional, os pesquisadores tomaram imagens de recifes em até 300 metros de profundidade.

Parte do registro está disponível em vídeo, que pode ser acessado no seguinte link: http://athilapeixe.zenfolio.com/blog/2016/1/bstp.

Os 15 dias de expedição reservaram também algumas surpresas aos pesquisadores, com a observação de novas interações ecológicas e de espécies ainda não descritas. Segundo Áthila Bertoncini, esses resultados serão divulgados por meio de artigos em publicações científicas da área de Biologia Marinha.

Além disso, a intenção dos pesquisadores é finalizar, no primeiro semestre de 2016, o cartaz das espécies de interesse comercial de São Tomé, e preparar a publicação do guia ilustrado. “Esses materiais terão uma linguagem descomplicada, para atender principalmente a população de São Tomé, mas também mergulhadores e turistas que queiram conhecer um pouco mais sobre a rica e diversa fauna de peixes que as águas africanas abrigam”, relata Bertoncini. (Daniela Oliveira/Comso)

Um dos pesquisadores no momento do registro de um cardume durante a expedição (Foto: Áthila Bertoncini)





Capes CNPQ Imagem Rede Unirio