Portal do Governo Brasileiro

Portal de IdentidadeWebmail |  Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale Conosco |  Mapa do Site

Centrais de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoInformativo Em Foco

ícone periódicosPeriódicos Científicos

Você está aqui: Página Inicial / 'Fraternidade como categoria política' será tema de minicurso neste sábado, dia 15

'Fraternidade como categoria política' será tema de minicurso neste sábado, dia 15

por Comunicação UNIRIO publicado 14/09/2018 15h30, última modificação 17/09/2018 13h24

A Fraternidade como categoria política (A Arte de Amar) é o tema do minicurso que o projeto de extensão Cultura da Fraternidade em Prática, vinculado ao Programa Recosol, oferece neste sábado, dia 15. O convidado será o geógrafo Manoel Francisco Lopes de Gouvêa Júnior, instrutor da Associação Civitas. A atividade acontece das 15h às 18h, no auditório do 5º andar do edifício situado na Rua Beijamim Constant, 23, no Bairro da Glória.

O objetivo é apresentar a Fraternidade como categoria política, considerando sua contextualização no processo histórico (Revolução Francesa) a partir da proposta de Chiara Lubich, criadora da Economia de Comunhão. Para os organizadores, na conjuntura sociopolítica atual, marcada pela descrença da sociedade na atuação representativa e no próprio Estado democrático, a abordagem representa uma  "'novidade' para a atuação parlamentar e para o eleitorado antes, durante e após o processo eleitoral". Confira o programa do minicurso.

Graduado em Geografia e Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Manuel Francisco Lopes especializou-se em Mídias na Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atua como professor do Ensino Fundamental na Rede Municipal do Rio de Janeiro. 

O encontro é aberto ao público. 

Outras informações pelo e-mail heloborges11@gmail.com. 

Sobre a Economia de Comunhão

A Economia de Comunhão foi criada em 1991 por Chiara Lubich, em São Paulo. Voltado para empresas, o projeto visa empregar os lucros em três finalidades: ajudar pessoas necessitadas, difundir a cultura da reciprocidade e desenvolver os negócios de forma eficiente e competitiva, simultaneamente à abertura para a gratuidade. 


Acesso a Informação Capes CNPQ Imagem Rede Unirio