Você está aqui: Página Inicial

Escola de Museologia

 

𝗦𝗢𝗟𝗔𝗡𝗚𝗘 𝗚𝗢𝗗𝗢𝗬

𝗦𝗔𝗨𝗗𝗔𝗗𝗘𝗦!

Faleceu neste domingo, 15 de janeiro de 2023, a querida colega e amiga, 𝗣𝗿𝗼𝗳ª 𝗦𝗢𝗟𝗔𝗡𝗚𝗘 𝗗𝗘 𝗦𝗔𝗠𝗣𝗔𝗜𝗢 𝗚𝗢𝗗𝗢𝗬, uma das profissionais mais atuantes da Museologia e do Patrimônio no Brasil, com relevantes e significativas contribuições a estes campos.

Graduada em Museologia pelo antigo Curso de Museus, do Museu Histórico Nacional-MHN (1961) e em História (Licenciatura) pela PUC-RJ (1974), onde realizou Mestrado em História Social da Cultura (2004).

Em 1969, participou da reformulação do MHN empreendida pelo diretor Leo Fonseca e Silva tendo trabalhado na reestruturação do circuito expositivo e inovado no uso de painéis fotográficos. Um ensaio do seu potencial criativo e de transformação que irromperia anos depois ao assumir a direção deste museu. Nesta mesma época, foi Chefe da Seção de Tombamento e Catalogação (1969-70).

Em 1973-75, organizou, implantou e dirigiu o Museu de Arte Moderna de Resende, importante contribuição à Arte Moderna e à Arte Contemporânea que se ressentiam da falta de museus, após as experiências pioneiras no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em 1976, prestou concurso para o cargo de museóloga da Fundação Estadual de Museus do Rio de JaneiroFEMURJ, sendo classificada em Primeiro Lugar.

Entre 1976-77, chefiou a equipe responsável pelo cadastramento do Patrimônio Arquitetônico do Município de Resende.

Em 1979-81, foi Diretora-Adjunta do Museu do Primeiro Reinado, inicialmente ligado à FEMURJ e depois vinculado à Fundação de Arte do Rio de Janeiro-FUNARJ. Entre 1981-82, foi a museóloga responsável pela implantação do Museu da Fundação José Américo, em João Pessoa-PB. 

Entre 1983-84, como Chefe da Divisão Técnica, participou ativamente na função de Presidente do Grupo de Trabalho que idealizou e coordenou o Projeto de Revitalização do Museu da República.

Nesta mesma época, como assessora do Programa Nacional de Museus, foi responsável pelos projetos do Museu do Atlântico Sul, de Salvador-BA, e da Casa Lacerda, de Lapa-PR. Diretora-Adjunta (1985) e Diretora-Geral (1985-89) do MHN, coordenou o Projeto de Reformulação conceitual e técnica deste museu, investindo em novos parâmetros de comunicação, documentação (informatização) e preservação (reserva técnica).

No Módulo I-Expansão, Ordem e Defesa, e no Módulo II-Colonização e Dependência, inaugurou, no circuito expositivo, um conceito inovador de narrativa histórica e comunicação museológica, verdadeiro marco das transformações da Museologia e dos Museus para o Brasil da década de 1980.

Em 1990, à época da extinção da Fundação Nacional Pró-Memória, coordenou o Inventário Geral de Bens Móveis. Neste mesmo ano, coordenou o Projeto de Implantação do Museu da Limpeza Urbana/COMLURB-RJ, na Casa de Banhos de D. João VI, no Caju, Rio de Janeiro. Entre 1991-92, foi Coordenadora Técnica do MHN e, ainda em 1992, como membro do Instituto Brasileiro do Patrimônio Cultural-IBPC, coordenou a montagem do Museu Comunitário de Hamburgo Velho/Casa SchmittPresser (Novo Hamburgo-RS).

Em 2002, participou da equipe de implantação do Museu do Teatro Amazonas, em Manaus-AM.

Na docência, sua carreira foi igualmente relevante tendo organizado, coordenado e ministrado disciplinas, cursos e seminários nas áreas da Museologia e da História, no MHN, na UNIRIO, na PUC-RJ, na FNPM e em várias outras universidades e instituições de patrimônio. No Curso de Museus/Curso de Museologia-UNIRIO ministrou, de 1968 a 1982, disciplinas de História do Brasil e Estágio Curricular. Nos anos de 1974-75 atuou de maneira decisiva no processo de implantação das Exposições Curriculares tendo organizado, junto aos estudantes, exposições experimentais que acabaram fundamentando a institucionalização das disciplinas de Exposição Curricular em 1978.

Ainda nos anos de 1974-77, foi uma das lideranças que refletiram, discutiram e decidiram sobre a transferência do Curso de Museus para o âmbito da Federação das Escolas Federais Isoladas do Estado do Rio de JaneiroFEFIERJ, depois UNIRIO.

Na década de 1980, convidada por Waldisa Rússio, foi conferencista do Módulo Seminário sobre Museus Contemporâneos, no Curso de Pós-Graduação em Museologia, da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo-FESPSP.

Participou como conferencista e debatedora de inúmeros encontros, seminários e congressos. Publicou vários artigos e livros, entre os quais, "Círculo das Contas: Joias de Crioulas baianas" (2007), lançado pelo Museu Costa Pinto, de Salvador; "Riscos do Eterno Provisório: Museu de Arte Moderna de Resende" (2014); e o recente "O Livro das Opalinas: Lágrimas do Arco-íris" (2002), coautoria com Luis Antonelli, arquiteto, artista plástico e museógrafo, seu marido e parceiro de quase quatro décadas de vida e trabalho.

Em reconhecimento às suas importantes contribuições recebeu inúmeras homenagens, dentre as quais: Medalha Rodrigo Mello Franco de Andrade-50 Anos do SPHAN (1987); Medalha Sérgio Gregori/Associação de Amigos do MHN (1990); Medalha Princesa Isabel/Museu Imperial (1994); Medalha de Honra ao Mérito 80 Anos da Escola de Museologia/UNIRIO; e Medalha 100 Anos do MHN (2022).

Em síntese, apenas algumas de suas realizações para registrar a Memória de seus 60 anos de Museologia. Seis décadas de trabalho, criatividade, sensibilidade e coragem! Muita coragem!

Uma atuação marcante, intensa e apaixonada!

Um grande legado que permanecerá na memória de todos seus colegas, amigos e familiares!

A Escola de Museologia-UNIRIO e o NUMMUS juntam-se ao querido Luis Antonelli, familiares e amigos neste momento de dor.

 

      

       

 

 

 -------------------------------------------------------------------------

 

 

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS
ESCOLA DE MUSEOLOGIA

      

CARTA DE REPÚDIO 

A Escola de Museologia, do Centro de Ciências Humanas e Sociais-CCH, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro-UNIRIO vem a público manifestar repúdio aos atos criminosos contra o Estado Democrático de Direito, impetrados por grupos terroristas, ontem, em Brasília, nas sedes dos Três Poderes. 

Em especial condenar o vandalismo criminoso contra o Patrimônio Cultural Brasileiro, Arquitetônico e Artístico, obras únicas e importantes registros da Identidade, Cultura e Memória do Brasil! 

Esperamos que haja Justiça e que estes crimes sejam exemplarmente apurados e punidos com o rigor da Lei. 

Não existe Patriotismo sem Amor e Respeito à Cultura e ao Patrimônio!

 

 Rio de Janeiro, 09 de janeiro de 2023.

 Arquivo em PDF

 

 

 

----------------------------------------------------------------------

 

 

A Escola de Museologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro(UniRio) possui o Curso de Museologia mais antigo da América do Sul. Em 1932 foi criado o hoje chamado de Curso de Bacharelado de Museologia Integral. Em 2011, foi criado o Curso de Bacharelado de Museologia Noturno, a fim de atender a demanda de décadas por uma formação na área, para o público de trabalhadores.

 O Curso de Museologia Integral possui aulas regulares matutinas e vespertinas e o Noturno somente no horário da noite. Ambos têm a mesma proposta curricular e pedagógica, e conferem o mesmo perfil de formado. Contudo, a distribuição das disciplinas e o tempo de integralização são distintos.

Os currículos e seus métodos de ensino são aprimorados constantemente, com o objetivo de formar profissionais sempre sintonizados com o mercado de trabalho e o pensamento museológico existente e prospectivo.

 Os Cursos de Museologia da Escola de Museologia UNIRIO conferem o título de Bacharel em Museologia que garante a atuação como profissional museólogo em todo o território nacional, mediante registro em um dos Conselhos Regionais do Conselho Federal de Museologia.

As coordenações dos cursos, em 2022.

 

 

 ONDE ATUA O MUSEÓLOGO?

"Museus/ Galerias de arte/ Institutos de pesquisa / Centros de documentação e Informação / Centros Educacionais / Escolas / Universidades / Centro de Ciências e Tecnologia / Jardins Botânicos / Zoológicos / Aquários e planetários / Parques e reservas naturais / Sítios Históricos e Arqueológicos / Pequenas , médias e grandes empresas / Coleções públicas e particulares / Produtoras de vídeo e TV / Arquivos / Bibliotecas / Teatros / Cidades - monumentos."

QUE ATIVIDADES DESENVOLVE?

"Pesquisa / Preservação / Conservação / Documentação / Informação / Interpretação / Educação / Administração / Desenho de Políticas de Cultura e desenvolvimento sustentável."

Tereza SCHEINER,1997.