Ferramentas Pessoais

Você está aqui: Página Inicial / Projetos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa

Adriana Hoffmann Fernandes

A VISUALIDADE DA CULTURA CONTEMPORANEA E A EDUCAÇAO: ESTUDOS SOBRE OS MODOS DE VIVER/PRODUZIR A IMAGEM

Descrição: Esse projeto de pesquisa dá continuidade aos estudos que temos desenvolvido no grupo de pesquisa/Cnpq CACE (Comunicação, Audiovisual, Cultura e Educação) e busca investigar e refletir sobre a visualidade na cultura contemporânea a partir de um estudo teórico de pesquisadores das imagens ? em especial das áreas da Artes e da Comunicação - buscando a compreensão do contexto e questões associadas à cultura visual da atualidade. A visualidade é entendida como a construção cultural de nossos olhares pois ?muitas imagens, uma vez que entram em nós, continuam a viver dentro de nós? (Cunha, 2008; apud Win Wenders, 2002). Importante considerar que essa visualidade com a qual convivemos é atravessada pelas múltiplas telas contemporâneas nos espaços on-line e off-line do nosso cotidiano. Aprofundar os estudos sobre os teóricos estudiosos da imagem tem o objetivo de por em debate as experiências contemporâneas vividas em sociedade e também as vividas nos espaços educativos. Trata-se de estudar, refletir e registrar de que modo a presença maçica da imagem em todos os espaços e telas tem trazido questões para a educação e os modos como lidamos e vivemos com as imagens bem como o que (des)produzimos e (des)aprendemos com e sobre elas no contexto atual.A pesquisa iniciou-se com parceria na UFF pelo Pos-doc em 2017 e com aprovação pelo edital Jovem Cientista do Nosso Estado continua na UNIRIO em parceria com pesquisadores de diferentes Universidades (UFG, UFF e UFRJ). 



Andréa Rosana Fetzner

Gabinete de Pesquisa em Desenvolvimento Curricular: estudo de propostas curriculares em redes organizadas em ciclos

Descrição: Análise de propostas curriculares de redes de ensino que tenham organizado em ciclos todo o ensino fundamental (1º ao 9º ano). Considerando que os períodos letivos sem reprovação escolar pressupõem perspectivas curriculares não fragmentadas em séries e não baseadas em pré-requisitos, a pesquisa propõe, com referência nos estudos sobre a democratização da educação e a interculturalidade, fazer uma análise da integração curricular nessas redes municipais de ensino. Com o estudo pretende-se (1) compreender como se dá a integração curricular nas propostas curriculares; (2) compreender como se dá a integração curricular nos planejamentos escolares entre os ciclos; (3) analisar as possíveis conciliações e articulações entre as diferentes culturas e conhecimentos escolares, que possibilitem o diálogo intercultural por meio das atividades propostas nas escolas. Trata-se de um estudo documental qualitativo que prevê a análise (1) de documentos e propostas de secretarias de educação e da legislação, que incidam sobre as políticas de organização curricular e (2) de planejamentos desenvolvidos pelas professoras e professores das redes de ensino pesquisadas que busquem a articulação entre conhecimentos da experiência dos estudantes e conhecimentos a serem aprofundados na escola. O estudo será realizado por meio do ambiente virtual do Gabinete de Pesquisa em Desenvolvimento Curricular e em visitas técnicas. Pretende-se contribuir para o entendimento qualitativo e crítico das propostas curriculares municipais e para o aprofundamento da interculturalidade como referência para as atividades escolares. Desenvolvida junto ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Avaliação e Currículo - GEPAC. Linha de pesquisa PPGEdu: Práticas Educativas, Linguagens e Tecnologias.


Carmen Irene C. de Oliveira

Evasão, retenção e premanência nos cursos a distância

Descrição: A pesquisa objetiva 1) estudar a evasão, a retenção de cursos a distância de modo a delinear os fatores que influenciam os alunos a evadirem e os problemas que permitem a retenção. O foco serão 04 cursos de licenciaturas a distância, ainda em oferta, e duas edições de 01 curso de especialização a distância já oferecido pela mesma instituição; 2) desenvolver atividades a distância apoiadas em recursos tecnológicos para os discentes (ainda estudamos se elas serão ofertadas a todos os alunos ativos ou aos ingressantes de 01 curso de graduação a distância em 2017.1 e 2017.2; 3) focalizar elementos favoráveis à permanência nos cursos a distância a partir da experiência dos egressos. Uma pesquisa que envolve a evasão, a retenção e os fatores positivos de permanência dos cursos de graduação e pós-graduação a distância no ensino superior demandará, na nossa perspectiva, a abordagem de diferentes instâncias. O nosso estudo situará esses fenômenos no macrocontexto das políticas nacionais para a área de educação a distância (principalmente no que tange aos órgãos e iniciativas de financiamento e a Universidade Aberta do Brasil); no contexto específico do estado do Rio de Janeiro (onde os cursos que constituem o campo são ofertados) em sua realidade consorciada (mais adiante explicamos o Consórcio Cederj); no microcontexto da instituição na qual os cursos que serão pesquisados são ofertados. Ou seja, partimos do pressuposto que algumas condições institucionais devem estar implicadas nas discussões acerca do histórico desses cursos. Assim como uma discussão sobre o PDI da instituição dos cursos em foco e as políticas de EAD em nível nacional. A partir do que denominamos macrocontexto e contexto institucional, pretendemos averiguar os casos de evasão, tendo em vista um contato com o contingente do alunado desistente e/ou em trancamento. O principal pressuposto nesta pesquisa é que o curso em nível superior a distância é um processo multifacetado onde a presença de agentes em diferentes níveis implica uma gestão mais complexa e necessidade de forte base em recursos tecnológicos gerando demandas importantes e fundamentais por parte da instituição e do alunado, demandas tais que, por vezes, não são atendidas na prática. A proposta de desenvolver um modelo de estudo de evasão a partir de pesquisas já desenvolvidas envolver, também e necessariamente, uma análise crítica desses modelos já existentes.



Centralidade da Cultura Científica e Ensino de Ciências

Descrição: Este projeto toma a ciência como foco principal e tem como condição inicial o entendimento de que os processos de fortalecimento das iniciativas de comunicação científica e de processos de fomento à cultura científica, via de regra por meio da educação científica, constituem uma estratégia de afirmação da ciência, frente aos outros saberes, estratégia que marca uma nova fase do seu desenvolvimento e de sua construção ideológica, que vem desde o início da modernidade. E o discurso que se constrói nessa articulação coloca em destaque diferentes aspectos para sustentar sua legitimidade, destacando-se o argumento da exclusão social e do desenvolvimento econômico nacional (OLIVEIRA, 2013). Que no contexto contemporâneo a precariedade no nível de educação e compreensão pública em ciência e tecnologia e a não participação nos sistemas de informação e cultura são elementos que devem ser considerados no panorama global de desenvolvimento de um país não é fator a ser negado. O que destaco é como esses dois elementos, principalmente, e outros, funcionam na estruturação de um domínio discursivo acerca da importância da educação científica para o crescimento humano em todas as suas potencialidades, e como nessa dinâmica a divulgação/popularização da ciência emerge como uma estratégia adjunta. Desse modo, nesta proposta tenho como objetivo abordar a relação da divulgação científica com o ideário da cultura científica e processos educativos, considerando os seguintes aspectos: a) a dinâmica da informação científica em produtos culturais imagéticos e seu potencial em processos de educação em ciências; b) a problematização de aspectos relacionados ao circuito de produção, circulação e assimilação desses produtos culturais imagéticos; c) o redimensionamento crítico de noções como cultura científica, divulgação científica (e outros a eles relacionados, como alfabetização científica, por exemplo), já que se constitui um quase lugar comum a necessidade de o cidadão não cientista conhecer mais sobre ciência; d) as relações de mediação em iniciativas de comunicação científica, considerando diferentes espaços de divulgação. Como objetivos específicos, estabeleço: 1) Analisar documentos a) que apresentam o selo da Unesco e de tratados internacionais (Declaração de São Domingo; Declaração de Budapeste; Declaração do Genoma Humano; dentre outros), com base na AD de vertente francesa, com vistas a a) delinear os sentidos construídos acerca da cultura científica e seus correlatos; b) nacionais que gerem políticas públicas. 2) Problematizar tais sentidos tendo em vista a relação ciência-tecnologia-sociedade, introduzindo questões políticas e ideológicas. 3) Viabilizar junto a turmas de graduação nas áreas de pedagogia e ciências biológicas dinâmicas que possibilitem identificar potencialidades dos produtos imagéticos midiáticos nos processos de divulgação da ciência. 4) Fazer levantamento sobre a percepção de ciência e tecnologia junto ao alunado de das áreas de ciências humanas, sociais e biológicas. 5) Desenvolver grupos focais utilizando produtos imagéticos (filmes de ficção ou documentários; imagens de arte; fotografias) como deflagradores de discussões sobre ciência e tecnologia. 6) Investigar práticas de mediação em divulgação da ciência. É necessário ressaltar que compreendo a situação contextual na qual o projeto se situa, tendo em vista que a divulgação científica se opera em diferentes espaços, e no caso desta pesquisa o campo será o espaço formal. No entanto, considerando o entendimento de que há processos de divulgação para especialistas de outras áreas, vou discutir questões de áreas diferenciadas. Tendo em vista que os alunos de graduação são de diferentes áreas, penso que o processo de discutir temas científicos de outras áreas se inserem no âmbito da divulgação científica. As temáticas serão selecionadas a partir de um levantamento exploratór. 


Articulações no Ensino de Ciências a partir da perspectiva CTS na educação básica: desempenho de estudantes, práticas educativas e materiais de ensino

Descrição: Nesta investigação pretendemos problematizar as noções de situação-problema, interdisciplinaridade e contextualização nos conceitos de ciências (física, química e biologia) a partir de relações sociocientíficas-tecnológicas e ambientais nas questões do ENEM a fim de analisar o desempenho dos estudantes nas questões problematizadas nesse exame, os processos colaborativos de desenvolvimento de atividades curriculares pautadas nas noções de situação-problema, interdisciplinaridade e contextualização e como essas noções circulam nas práticas pedagógicas dos professores de ciências (física, química e biologia). Essa pesquisa pretende contribuir para a consolidação dos programas envolvidos, para a qualificação e formação de graduandos e pós-graduandos e para a formação continuada de professores em exercício e promover a integração das atividades de formação inicial e continuada de professores com as da pós-graduação e o fortalecimento da relação escola-universidade.


Ensino de Ciências e a Perpsectiva CTSA: desafios na contemporâneidade

Descrição: Descrição: Nesta investigação, pretendemos estudar como as noções de contextualização, interdisciplinaridade e situação-problema, que são constitutivas da perspectiva CTS que trabalha com a vertente freireana, estão preconizadas nos discursos dos documentos oficias das políticas voltadas para o ensino médio, nos discursos expressos nas questões do ENEM da prova de ciências da natureza e suas tecnologias, e nas práticas dos professores, com o objetivo de compreender os sentidos elaborados para essas noções. Nossa perpsectiva teórica está formulada a partir de contribuições que possibilitem um diálogo decodificador dos embates estabelecidos na estrutura social e na dinâmica escolar, assim, optamos pela matriz filosófica de abordagem CTS, com ênfase no ambiente - CTSA e a perspectiva freireana. Para tal, pretendemos aprofundar suas reflexões acerca da perspectiva CTSA, ou seja a questão ambiental incorporada ao CTS, em diferentes aspectos. Por meio da análise do discurso da vertente francesa estudaremos como ela está nos discursos dos documentos oficias das políticas voltadas para o ensino médio, nos discursos expressos nas questões da prova de ciências da natureza e suas tecnologias, e nas práticas dos professores, com o objetivo de compreender os sentidos elaborados para as noções: contextualização; interdisciplinaridade e situação-problema nesses diferentes contextos de produção discursiva.




Cármen Sanches Sampaio


Formação Docente em rede e investigação narrativa: no encontro entre universidade e escola básica, ler, escrever e conversar. Inventar(se), arriscar(se), pensar(se). Por que não?

Descrição: Conversar, estudar e investigar experiências educativas vivenciadas por praticantes dos cotidianos, a partir do que narram, rompendo com uma concepção de formação que têm mantido em silêncio professora(e)s, estudantes e crianças tratada(o)s como meros objetos de estudo é a opção teórico-epistemológica e política assumida nessa investigação-formação que se inscreve na perspectiva da investigação narrativa. Neste sentido, apresentamos como objetivos: i) Intensificar e aprofundar a relação entre universidade e escola básica, em seus anos iniciais, investindo em processos de formação docente referendados pelos princípios de alteridade, da investigação da própria prática e redes de formação provocando um processo de desnaturalização, investigação e produção de conhecimentos sobre saberesfazeres pedagógicos/alfabetizadores; ii) Fortalecer e ampliar a Rede de Formação Docente: narrativas e experiências (Rede Formad) e suas vinculações com outras redes. Investigar, tendo como referência narrativas, orais e escritas, processos de formação docente vividos por professora(e)s e estudantes que participam de coletivos docentes articulados a redes de formação; iii) Investigar o processo formativo vivenciado pelo grupo de estudantes vinculadas ao PIBID/Educação Infantil; iv) Investigar o desafio de praticar filosofia com crianças da escola pública onde acontece o PIBID/EI e v) Retomar, através de leituras mais sutis e minuciosas, as transcrições, fotografias e/ou filmagens dos quarenta encontros do FALE (Fórum de Alfabetização, Leitura e Escrita) realizados na UNIRIO. O que este material, corpus da pesquisa finalizada, indicia- nos sobre táticas e astucias docentes? Sobre currículos praticados cotidianamente nas escolas? Que estranhamentos e inquietudes provocam? Que gestos de fala, de pensamento e de escrita podemos perceber? Que ensinamentos as narrativas docentes possibilitam para o campo da formação de professores? Afinal, a formação da professora e do professor como autor(a) do seu fazer pedagógico e pesquisador(a) de sua própria prática precisam ser constitutivos dos processos formativos. Isto exige ler, escrever e conversar. Inventar(se), arriscar(se), pensar(se). Por que não?. 



Cláudia Fernandes

Implicações dos exames em larga escala para as práticas pedagógicas em escolas

Descrição: O projeto propõe-se a dar continuidade a projetos anteriores que tiveram apoio da FAPERJ (2005-2007) e CNPq (2009-2011/Universal 14; 2013/Universal 14). TEM POR PRINCIPAIS OBJETIVOS: I. Fazer levantamento de trabalhos e pesquisas já publicados pela temática das políticas de avaliação no Brasil no período de 2005 até 2015/16, com ênfase nos testes de larga escala, agora estendendo ao ano de 2017. II. Analisar, a partir do levantamento, as análises apresentadas pelos pesquisadores acerca das possíveis repercussões dos exames de larga escala para as práticas pedagógicas cotidianas das escolas. O projeto conta com apoio da CAPES e bolsa PIBIC/CNPq. 


Gabinete de pesquisa em desenvolvimento curricular:estudo de propostas curriculares em redes organizadas em ciclos


Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Andréa Rosana Fetzner em 31/01/2019.

Descrição: As contribuições recebidas da Universidade dos Açores, nos primeiros contatos e trabalhos desenvolvidos na formação de professores (participação do prof. Francisco Sousa em quatro semestres do Curso de Pedagogia na modalidade a distância, por meio das tecnologias de comunicação; participação presencial do mesmo prof. no IV Encontro Nacional das Escolas em Ciclos e participação da profa. Andréa Fetzner no Fórum Internacional de Pedagogia), nos levou a uma parceria na proposta de pesquisa sobre currículo por meio dos Gabinetes de Investigação Curricular (em Açores/Portugal) e do Gabinete de Pesquisa em Desenvolvimento Curricular ? GPDC neste projeto proposto. O Gabinete de Pesquisa em Desenvolvimento Curricular ? GPDC é apresentado, portanto, como proposta do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Currículo ? GEPAC que terá como objetivo acompanhar propostas curriculares em desenvolvimento desde que estas: - objetivem afirmar a democratização da educação escolar, no que se refere a concepções de conhecimento escolar; - incluam docentes na discussão do currículo escolar; - busquem o trabalho curricular com base no reconhecimento dos conhecimentos da experiência dos estudantes; - tenham por orientação metodológica a ação-reflexão-ação com as práticas curriculares presentes nas redes de ensino.



Celso Sanchez

Educação Ambiental desde el sur: Decolonialidade, Interculturalidade e Ecologia de Saberes, perspectivas para a educação ambiental no contexto latino-americano.

Descrição: O projeto de pesquisa visa analisar as interfaces de diálogos possíveis que emergem das demandas populares e dos movimentos sociais no contexto dos debates em torno da problemática ambiental a partir dos referenciais de estudos acerca da decolonialidade e da interculturalidade no contexto regional latino-americano. Neste sentido, o projeto se propõe a compreender quais possíveis contribuições podem ser trazidas ao campo da educação ambiental a partir das epistemologias emergentes que se soerguem das diásporas com povos originários, populações tradicionais, em particular de matriz africana e indígena, as quais produzem ecologias de saberes, em sua relação de conflito, com territórios muitas vezes estigmatizados e em disputa no contexto latino-americano. 


Cláudia Miranda

Como a Educação Intercultural impacta as políticas e as práticas curriculares no Brasil e na Colômbia: um estudo comparado sobre a participação dos movimentos pedagógicos e as perspectivas de gestores/as e etnoeducadores/as

Descrição: visa dar prosseguimento às investigações iniciadas no ano de 2009, e que passamos a desenvolver no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas Formação de Professores, Currículo (s), Interculturalidade e Pedagogias Decoloniais (GFPPD). Nosso foco está nos ?Movimentos Pedagógicos? no Brasil e na Colômbia que defendem outras pedagogias para a descolonização dos currículos formais e praticados, tais como a Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras (Rio de Janeiro) e a Red de Maestros e Maestras Tras los Hilos de Ananse (Bogotá) em um trabalho de fortalecimento e promoção das ações de cooperação dos respectivos coletivos. Trata-se da consolidação de uma investigação pautada nos impactos alcançados pela cooperação entre redes dinamizadas por intelectuais orgânicos, estudantes e educadoras/es vinculadas/os aos processos emancipatórios e decoloniais rumo a outras epistême , e des-aprendizagens/re-aprendizagens. Ratificamos o ideário que passa pelo reconhecimento da importância da pesquisa comparada com o foco nos países da América Latina e Caribe e se consolida como intervenção sociopolítica.


Grupo de Trabalho Afrodescendencias y propuestas contrahegemónicas

Descrição: A tarefa é produzir conocimento comparado com capilaridade e em diálogo com referentes de organizaçõesiones sociais e universidades na perspectiva dos grupos interdisciplinares de pesquisa na América Latina e Caribe. O desenho sustentado para a proposta do Grupo de Trabalho,parte da ideia de investigação comparada sobre a temática da afrodescendência tomando como eixo norteador, aspectos epistémicos, das lutas dos movimentos sociais, aspectos sobre as políticas públicas, o feminismo negro e as temáticas do corpo.


Guaracira Gouvêa


A técnica e a tecnologia em imagens lidas ou produzidas por estudantes e professores do ensino tecnico superior

Descrição: Neste estudo temos como objetivos identificar as concepções de técnica e de tecnologia expressas nas leituras de imagens produzidas por estudantes e professores de cursos técnicos de nível superior e problematizar os tipos de imagens apresentadas em suas relações com essas concepções. As questões de pesquisa são: Quais as concepções de técnica e de tecnologia estão representadas por meio da leitura de imagens produzidas por estudantes e professores de cursos técnicos de nível superior? Que imagens expressam essas concepções? Para respondermos as essas questões realizaremos oficinas de leitura de imagens produzidas por estudantes e professores de cursos técnicos de nível superior. Em nossa última investigação discutimos a técnica e a tecnologia com estudantes de cursos de humanas a partir de fotografias realizadas sobre o entorno da universidade, onde esse estudavam, e das respostas a duas perguntas que eles respondiam depois de fotografarem. Tem técnica na fotografia que você realizou e tecnologia? A resposta mais frequente, a técnica se confunde com a tecnologia, ao colocarem o celular como técnica e tecnologia. Outros estudantes definiram a tecnologia como o conjunto de todas as técnicas,. Finalmente, temos a tecnologia como a ideologização da técnica, somente nove estuantes definiram, a tecnologia como a ideologização da técnica, um dos estudantes que narrou sobre o impacto ambiental de certos aparatos técnicos e as oito estudantes que escolheram fotografar os grafites que versavam sobre feminismo caracterizaram esta escolha como ideologia, Como os estudantes eram todos de cursos das ciências humanas, resolvemos realizar as oficinas em escolas técnicas , pois nossa hipótese e´que nos cursos técnicos está discussão está ocorrendo no fazer cotidiano dos estudantes e professores e por isso escolhemos como cenário estas escolas. Temos como meta nesta investigação inserir a problematização da técnica e da tecnologia nos cursos de formação de professores sejam estes oriundos de escolas técnica ou não, para que esta discussão possa ter condições de chegar na escola básica.


Lúcia Helena Pralon de Souza

IMAGENS PEDAGÓGICAS E FORMAÇÃO DOCENTE

Descrição: Iinvestigação de cunho colaborativo, interinstitucional (UNIRIO e CEFET-RJ) sobre o papel pedagógico das imagens presentes em materiais didáticos impressos destinados ao ensino de ciências na educação básica e o desenvolvimento de ações de formação docente no campo da alfabetização visual.


Maria Auxiliadora Delgado Machado

Articulações no Ensino de Ciências a partir da perspectiva CTS na educação básica: desempenho de estudantes, práticas educativas e materiais de ensino

Descrição: Nesta investigação pretendemos problematizar as noções de situação-problema, interdisciplinaridade e contextualização nos conceitos de ciências (física, química e biologia) a partir de relações sociocientíficas-tecnológicas e ambientais nas questões do ENEM a fim de analisar o desempenho dos estudantes nas questões problematizadas nesse exame, os processos colaborativos de desenvolvimento de atividades curriculares pautadas nas noções de situação-problema, interdisciplinaridade e contextualização e como essas noções circulam nas práticas pedagógicas dos professores de ciências (física, química e biologia). Essa pesquisa pretende contribuir para a consolidação dos programas envolvidos, para a qualificação e formação de graduandos e pós-graduandos e para a formação continuada de professores em exercício e promover a integração das atividades de formação inicial e continuada de professores com as da pós-graduação e o fortalecimento da relação escola-universidade.


Maria Elena V. Souza

O preconceito racial nas entrelinhas das diferentes práticas educativas escolares

Descrição: Este estudo tem como objetivo principal caracterizar as práticas educativas escolares presentes no cotidiano de escolas de Educação Básica do Rio de Janeiro e relacioná-las à problemática racial brasileira A partir dos resultados dessas atividades são estabelecidas relações com autores de renome na área. A partir de 2009, procuramos também perceber como a lei 10.639/03 pode ser implementada nessas escolas. Para tanto, são caracterizadas práticas educativas escolares que estão presentes no cotidiano escolar, relacionando-as às propostas das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana estabelecidas pela lei 10.639/ 2003. Os dados coletados sobre o cotidiano escolar das escolas e o pensamento racial são feitos através de atividades escolares feitas com crianças e jovens que estudam nessas escolas e de entrevistas realizadas com professores, coordenadores e diretores de escolas.


Maria Luiza Süssekind



Realengando: puxando os fios e desdobrando em conversas

Descrição: pendente

CURRÍCULOS EM FORM-AÇÃO NA UNIVERSIDADE-ESCOLA: currículos, cotidianos, formação de professorxs, diferença e justiça cognitiva

Descrição: Conjugando e ampliando dois projetos em andamento na UniRio [?Práticas curriculares e artes de formação nos entregares da universidade-escola? e ?PIBID/CAPES-Interdisciplinar?] este projeto guarda-chuva compreende atividades de pesquisa, ensino e extensão orientadas para a justiça cognitiva e inseridas na formação de quadros na graduação e pós-graduação stricto sensu, consideradas em sua fluidez e multi-situacionalidade. A pesquisa assume que os currículos são pensadospraticados (OLIVEIRA, 2012) nas salas de aula como conversas complicadas (PINAR, 2012) cujos vestígios (GINZBURG, 1989), ruinas (BENJAMIN, 1994) e detritos (CERTEAU, 1994), capturados (CERTEAU, 1994) em registros de relatos, conversas (SÜSSEKIND, 2012), narrativas (BENJAMIN, 1994), fofocas (ELIAS, 2001) e escritas livres (SCHNEIDER, 1993) são indícios, pistas, tramas e alegorias (GINZBURG, 1989) para compreender e pensar o social, cifrando, decifrando-o (PAIS, 2003) e experimentando o indecifrável (DERRIDÁ, 2014). Ainda, sustenta-se na argumentação de que estes relatos beneficiam-se de contextos de produção que se caracterizam pela copresença (SANTOS, 2004) e pela luta processual, radical e cotidiana pela justiça cognitiva (SANTOS, 2010) como superação dos epistemicídios, sobretudo, os acadêmicos, por meio das conversas complicadas, rizomáticas, historicizadas, socráticas que temos buscado praticar na formação. Apostar nos currículos pensadospraticados como possíveis entrelugares curriculares de formação em que a valorização do pensamento que aposta na diferença (DERRIDÁ, 2014) pudesse potencializar e multiplicar as vozes e os aprenderes na busca por uma formação dos professores mais historicizada, cosmopolita (PINAR, 2012) e enredada, tem sido nosso compromisso como formadorxs de professorxs, inspirados por ?reconstruções cambiantes? (DERRIDÁ, 2014) e ?heranças? que considerem menos a universidade moderna (DERRIDÁ, 2003) e mais a amorosidade e a justiça (DERRIDÁ, 1994).


Conversas entre professorxs:alteridades e singularidades - ConPAS

Descrição: Este projeto se desenvolve como pesquisa e extensão acadêmicas no Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro sobre a Formação Continuada de professores do ensino fundamental inicial da rede pública de ensino a partir dos relatos elaborados por esses professores em situação de roda de conversa. Tem como objetivo produzir conhecimentos acerca do campo de Formação Continuada fundamentada no trabalho em sala de aula, na troca de experiênciaspráticas (REIS, 2014) nas histórias de vida e nos saberes experienciais enredados na vida cotidiana apontando e desinvisibilizando a complexidade que faz parte da vida e do processo de formação que é contínuo assim como os usos e a importância das narrativas nesse processo. Desenvolve-se a partir de uma metodologia/política que envolve os cotidianos das salas de aula, as rodas de conversa com narrativas de experiênciaspráticas e de histórias de vida. Parte do princípio que a formação se dá continuamente, ou seja, é um processo que começa com o nascimento e se tece por toda a vida dos sujeitos. Para isso, discute tanto a importância das memórias de vida como dispositivo de autoformação, pensando por que o exercício de autoconhecimento é tão importante nessa trajetória quanto a importância que o compartilhamento de experiênciaspráticas, por meio das narrativas, tem na formação contínua. Considera a ideia de que as políticas de educação se tecem a partir dos embates cotidianos, o que significa que todas as ações desenvolvidas pelos praticantes das escolas são também fruto de decisões e convicções políticas e expressam valores e objetivos também políticos. Pretende se apresentar como uma políticaprática contra-hegemônica, que desinvisibliza os cotidianos escolares mostrando que o que parece posto como política de Formação Continuada é um processo de embates que se tece coletivamente e cotidianamente.


Educação Cidadã, Justiça Cognitiva, Emancipação Social: Politicaspraticas educacionais e seus praticantes pensantes fase II

Descrição: Este projeto se inscreve no trabalho do grupo de pesquisa Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar, que desenvolve, desde 1999, projetos de investigação voltados para o cotidiano escolar, as práticas neles desenvolvidas e o sentido emancipatório que podem possuir, nas diferentes circunstâncias em que são desenvolvidas. O grupo busca compreender aquilo que se passa na vida cotidiana, em diferentes espaços educativos, as possibilidades emancipatórias e as especificidades que expressam essas práticas, seus fundamentos e possibilidades. Com base em resultados de pesquisas anteriores, no comprometimento pessoal, epistemológico e político, com a formação cidadã e a democratização social e na noção de ?epistemologias do Sul? (SANTOS; MENEZES, 2010) é que proponho o desenvolvimento deste novo Projeto, a partir das ideias de ?cidadania horizontal? e ?justiça cognitiva?, hoje centrais para a reflexão em torno da construção da emancipação social por meio da tessitura de uma Ecologia de Saberes, com o objetivo principal de constituir conhecimento sobre a possível contribuição da educação à tessitura da emancipação social, conforme formulado por Boaventura de Sousa Santos. O trabalho de pesquisa será desenvolvido em frentes complementares e articuladas, de modo a permitir o estabelecimento de diálogos entre diferentes modos de ação e compreensão das ações educativas cotidianas. No contexto escolar, a partir de narrativas de educadores e educandos, buscamos a compreensão das relações entre esses conhecimentos e valores docentes e a construção de relações mais ecológicas entre diferentes conhecimentos. Estudaremos, em uma segunda frente, práticas educativas e sociais desenvolvidas em espaços educativos não escolares, buscando nelas a ampliação da compreensão de ações educativas fundamentadas em diferentes racionalidades, fundamental para a ampliação da compreensão das redes de conhecimentos presentes na sociedade e da formação cidadã dos sujeitos so. 


LINHA DE PESQUISA-  POLÍTICAS, HISTÓRIA E CULTURA EM EDUCAÇÃO


Bruno Adriano Rodrigues da Silva 

Entre Memórias e Histórias: a trajetória de vinte anos da Editora UFLA

Descrição: Trata-se de um projeto investigativo cujo objetivo versa por resgatar, descrever e registrar a trajetória histórica das atividades empreendidas pela Editora da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Em princípio esse trabalho justifica-se em virtude da comemoração dos vinte anos de existência da editora, de igual modo pela necessidade de salvaguardar a história (desse segmento) institucional e, por efeito, transformar as reminiscências individuais dos autores/atores que trabalharam em prol da editora da UFLA, em registros empíricos. Para tanto, recorrer-se-á à História Oral enquanto método científico, cujo procedimento metodológico estabelece a realização de entrevistas, por intermédio de um questionário semiestruturado, junto à rede de depoentes, ao passo que se possa conhecer e cotejar os "fragmentos" históricos desses vinte anos de atividade na editora, sob a percepção de seus protagonistas.


Diógenes Pinheiro

Juventude, educação e trabalho

Descrição: Considerando que somente em fins da década de 1990 o país conseguiu universalizar o ensino fundamental e que cerca de metade dos jovens entre 15 e 17 anos está fora do ensino médio, fica claro o enorme desafio que se coloca para a elevação da escolaridade dos jovens brasileiros. No que se refere especificamente ao ensino médio, os últimos anos foram marcados por uma intensa mobilização dos jovens secundaristas, que têm colocado em questão a precária infraestrutura das escolas públicas, o autoritarismo muitas vezes dominante na relação docente/discente, especialmente por parte de direções de escolas não-eleitas pela comunidade escolar, e a qualidade do currículo para este segmento. Tido historicamente com um gargalo nas políticas educacionais e nas políticas de juventude, esse segmento passou por longos períodos de debate sobre a necessidade de sua reformulação, tanto no governo federal e seus conselhos, como também no poder legislativo. Mas, desconsiderando o conjunto de debates realizados entorno do Ensino Médio, o governo atual, editou as atuais mudanças no ensino médio propostas para o país a partir da Medida Provisória (MP) nº 746/2016, aprovada e transformada na Lei nº 13.415, de fevereiro de 2017. A citada reforma é defendida sob o argumento da criação da possibilidade de ?escolha pelo aluno do seu percurso formativo? e de ?uma preocupação com ensino técnico e integral?, mas não toca em questões centrais, tais como os gargalos da baixa qualidade, da defasagem idade série, da evasão e, acima de tudo, que condições serão criadas para ampliar as possibilidades de escolha dos jovens estudantes.


ARGONAUTAS Plataforma virtual sobre trajetórias educacionais

Descrição: Visa conhecer o novo perfil estudantil que tem chegado à UNIRIO, mas com pesquisas que levem em conta também suas demandas e expectativas, pois a incorporação de seu olhar é fundamental no desenho de políticas universitárias mais focadas. Centra nas mudanças havidas no acesso e permanência de estudantes da UNIRIO após uma década do programa REUNI e da criação de novos marcos legais, como a Lei de Cotas. Nesse cenário, interessa pesquisar os impactos de tais políticas nas trajetórias educacionais de indivíduos concretos, tendo os estudantes de graduação e de pós-graduação como sujeitos desta pesquisa. O objetivo da plataforma ARGONAUTAS é desenvolver uma Tecnologia Social (TS) de mapeamento, reflexão e difusão de informações sobre as trajetórias escolares de graduandos e pós-graduandos da UNIRIO gerida pelos próprios estudantes, funcionando como um espaço de ?Educação pelos Pares? . Interessa que desenhem, juntos, metodologias de levantamento de informações sobre seus percursos educacionais, antes e durante a universidade, mas focando nos desafios para sua permanência com qualidade no Ensino Superior.


Eliane Ribeiro Andrade

Projeto ?Juventude e a Reforma do Ensino Médio no Rio de Janeiro

Descrição: O objetivo é compreender as expectativas dos jovens no ensino médio da rede pública estadual em relação à reforma governamental proposta pela lei nº 13.415, de fevereiro de 2017, que propõe modificações de fundo. Tais mudanças, que impactam a vida de milhões de estudantes brasileiros, carecem de estudos aprofundados que levem em conta, também, as relações entre determinadas características da condição juvenil contemporânea e os percursos escolares de jovens do ensino médio, caracterizados por entradas e saídas na escola e no mundo do trabalho. Para tal, esta pesquisa propõe estudar jovens que frequentam três modalidades do ensino médio (regular, integral e EJA .O estudo que aproxima pesquisa e extensão é financiado por emenda parlamenta EMENDA PARLAMENTAR Nº 35730023, com transferência direta para a UNIRIO. O trabalho é desenvolvido pelo Grupo de pesquisa: Juventude: processos sociais, políticas públicas e educação.. 

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. 



Elisangela da Silva Bernado

Gestão e Educação em Tempo Integral no Brasil e em Portugal: aproximações e distanciamentos

Descrição: Entendemos a importância da política educacional e seus desdobramentos, em especial no que tange a gestão e a necessidade de aprofundamento de estudos em diferentes locais afim de contribuir na melhoria da qualidade da educação em nível local e central. A presente pesquisa tem como objetivo analisar as políticas de gestão educacional e a educação de tempo integral no Brasil e em Portugal via ordenamento legal, bases de dados de avaliações educacionais e literatura especializada. Para tanto, pretende-se: descrever as políticas escolares dos dois países e a articulação com a educação de tempo integral; analisar a gestão democrática do ensino por meio dos ordenamentos legais, caracterizando as formas de participação na comunidade escolar; comparar a gestão educacional de escolas de ensino básico na região de Coimbra e do Rio de Janeiro; e comparar as dinâmicas de Educação Integral de escolas de ensino básico na região de Coimbra e do Rio de Janeiro. A abordagem de investigação adotada será de cunho qualitativo, tendo como parâmetro também a educação comparada entre os dois países. A análise de referenciais teóricos (Ana Maria Cavaliere, António Gomes Ferreira, António Nóvoa, Carlos Pires, Elisangela da Silva Bernado, Janaina S. S. Menezes, João Barroso e Lígia Martha C. C. Coelho, entre outros autores) e normas legais, além de dados referentes às avaliações educacionais e a análise descritiva dos dados coletados farão parte das etapas da pesquisa. Bem como o trabalho de campo em escolas de tempo integral. Neste sentido, espera-se contribuir não só na formação de gestores, tanto no nível local quanto central, mas também na melhoria de suas ações no ambiente onde atuam; e disseminar os resultados encontrados da pesquisa por meio de eventos científicos e publicações em livros e periódicos da área.


Escolas Públicas no Estado do Rio de Janeiro e o Programa Mais Educação: uma análise das ações dos gestores escolares em busca de uma educação de qualidade - Pesquisa apoiada pelo Edital FAPERJ - Jovem Cientista de Nosso Estado - 2015-2018

Descrição: Nos anos 60 e 70, vários estudos americanos e europeus sugeriram que as escolas tinham pouca influência na explicação da trajetória escolar discente. Ou seja, a escola não fazia diferença no desempenho escolar dos alunos. Outros estudos apontaram as escolas como simples reprodutoras das desigualdades sociais, favorecendo os favorecidos. O interesse pelo estudo da eficácia escolar se inscreve como um prolongamento direto desses trabalhos que colocaram em dúvida a capacidade das escolas em influenciar o desempenho dos alunos. A presente pesquisa tem como objetivo geral analisar as ações implementadas pelos gestores escolares (diretores, diretores adjuntos e coordenadores), de escolas públicas do Rio de Janeiro com o Programa Mais Educação (PME) que apresentaram melhoria significativa dos resultados do IDEB de 2011 para o de 2013. Além dos gestores escolares, os professores com alunos atendidos pelo PME e os oficineiros participarão da pesquisa. Para atender a este objetivo foram formuladas as seguintes questões de estudo: Que informações têm os gestores escolares, professores e oficineiros sobre os resultados e indicadores educacionais (avaliações externas e IDEB) e como se apropriaram deles?; Como o Programa Mais Educação fez/faz diferença nas escolas?; Quais fatores intra e extraescolares são apontados pelos gestores escolares, professores e oficineiros como eficazes? E como ineficazes?; Quais ações foram implantadas pelos gestores nas escolas investigadas, a partir da implantação do Programa Mais Educação, para as escolas se tornarem eficazes?; O que gestores escolares, professores e oficineiros entendem que faz diferença em suas respectivas escolas?; O que os atores investigados percebem no Programa como indicadores para a transformação da escola em uma escola eficaz?. Palavras-chave: Escola pública; IDEB; Programa Mais Educação; Escola em tempo integral; Escolas eficazes.



Janaína Specht da Silva Menezes

Estudo crítico-exploratório sobre os Planos Estaduais de Educação (PEEs) no Brasil: contribuições para formulações e reformulações decorrentes do novo Plano Nacional de Educação (PNE).

Descrição: A pesquisa busca analisar algumas das dimensões estruturais e organizativas dos Planos Estaduais de Educação (PEEs) aprovados no período de vigência do PNE 2001-2010 e/ou do PNE 2014-2024, de modo a contribuir para a (re)elaboração dos PEEs que decorrerão da aprovação da Lei n° 13.005/2014.


José Damiro de Moraes


A circulação de ideias anarquistas no Brasil Republicano: a formação teórica de ativistas libertários, suas reflexões e práticas no campo educacional

Descrição: Essa pesquisa tem como objetivo estudar a circulação transnacionais de discursos presentes nos textos, jornais, folhetos e livros de conteúdo anarquista no Brasil; com isso buscar compreender a ação de ativistas anarquistas na disseminação desses discursos e conteúdos; Além disso, analisar qual/is as concepções do pensamento anarquista presentes no Brasil e suas relações com a educação a partir das publicações em periódicos e folhetos. Com esses direcionamentos, estudar quem eram os ativistas anarquistas e libertários que criaram escolas e quais foram as concepções e teóricos que os influenciaram; procurar esclarecer os vários circuitos percorridos pelas publicações anarquistas no Brasil; perceber a velocidade e a intensidade com que essas ideias e discursos viajaram: Europa-Brasil (Italia/Espanha/Portugal/França, outros); América-Brasil (Argentina/Chile, outros); Rio de Janeiro-São Paulo, e outros estados brasileiros. Finalmente, recuperar, a partir de um estudo analítico, as contribuições teóricas específicas desses ativistas sobre educação, escola, sociedade e projeto social; Mapear a criação de Escolas libertárias procurando perceber suas ligações com as concepções ácratas presentes no período. Essa pesquisa desenvolve-se no NEPHEB - Núcleo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira.



Lígia Martha C. C. Coelho

Plano Nacional de Educação nos Planos Municipais de Educação do Estado do Rio de Janeiro: Em torno das metas de Educação em tempo integral, formação e valorização dos profissionais da educação e do magistério

Descrição: Pesquisa proposta para 4 anos, cujo objetivo é analisar perspectivas e desafios presentes nos Planos Municipais de Educação do estado do Rio de Janeiro, em relação à formação e valorização dos profissionais/professores da educação básica, levando em consideração sua possível relação com outras Metas do referido Plano e, mais especificamente, a construção da educação em tempo integral, nas redes de ensino municipais. Esta investigação faz parte de pesquisa mais ampla, denominada Educação integral e(m) tempo integral no Brasil: História, políticas e práticas.


Educação Integral e Tempo Integral no Brasil : História, Políticas e Práticas

Descrição: O projeto em tela constitui-se e consolida-se como um GRUPO DE PESQUISA que funciona por meio de estudos investigativos e projetos de extensão que vem sendo realizados periodicamente tendo, como temáticas básicas, a educação integral e/ou o tempo integral na história da educação brasileira. Investigam-se concepções, políticas jem andamento e/ou práticas de educação integral e/ou de jornada ampliada/tempo integral, ao longo da história da educação do Brasil trabalhando, assim, e também, com políticas públicas que implantaram/ implantam essa modalidade de educação, bem como movimentos e/ou grupos sociais que os tenham adotado (católicos; movimento integralista; movimento anarquista, por exemplo). Especificamente em relação aos estudos históricos, desde 2003, vimos analisando essas concepções e práticas ao longo da década de 30, no Brasil, dedicando-nos aos movimentos conservadores, liberais e socialistas. Nesse sentido, baseando-nos em análises que se constituem no campo da História da Educação, numa perspectiva sócio histórica, vimos coletando dados, basicamente em fontes primárias que, passando por uma Análise de conteúdo ou vistos sob a ótica da Análise do Discurso, tem subsidiado a análise das concepções conservadora, liberal, anarquista e socialista de Educação Integral.Em 2007, a partir de projeto selecionado pelo INEP/CAPES - Observatório da Educação, nossa investigação abarca outros períodos históricos. A partir de 2010, nossos estudos teóricos se concentram nas figuras de Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro. No campo das políticas públicas, projetos de pesquisa foram agregados a este projeto mais amplo, como os estudos que contemplam o Programa Mais Educação, do governo federal, por exemplo, a partir do ano de 2008, bem como experiências, projetos e programas que vem se constituindo em estados e municípios brasileiros. No tocante às práticas, vimos nos dedicando ao estudo da organização curricular que envolve a ampliação da jornada escolar para o tempo integral, numa perspectiva de educação integral sócio historicamente referenciada, assim como questões que envolvem a formação, valorização e trabalho docente. De 2015 até os dias atuais, as questões contemporâneas, relacionadas a uma 'agenda pós-moderna' também tem sido cenário de nosso foco temático. Nessa perspectiva, a concepção contemporânea de educação integral se apresenta como recorte de alguns dos estudos empreendidos a partir deste projeto mais amplo, sendo eles projetos docentes ou discentes.



Luiz Carlos Gil Esteves

Interpretações da PNAD no período 2000-2015

Descrição: Análise dos dados relativos à educação, disponibilizados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, com o propósito de, a partir de grandes números, traçar o perfil dos sujeitos em situações tanto de inclusão quanto de exclusão da oferta estatal obrigatória e gratuita de Educação Básica.


Estudo sobre o perfil, demandas e expectativas dos jovens participantes do processo de discussão do Plano Nacional de Juventude

Descrição: O estudo visa conhecer o perfil, demandas e expectativas de jovens vinculados a coletivos/movimentos juvenis, durante o processo de discussão em torno do futuro Plano Nacional de Juventude. 


Subsídios Conceituais para o Programa Estação Juventude

Descrição: Balanço da produção internacional e nacional sobre juventude, bem como análise de experiências de equipamentos públicos de juventude implementados nas últimas décadas. Produção de sínteses dos principais conceitos que incidem sobre a juventude, como participação, direitos, território, moratória jovem, autonomia e emancipação.



Maria Fernanda Rezende Nunes

Políticas de avaliação na/da Educação Infantil: concepções e ações dos sistemas municipais de ensino no Estado doRio de Janeiro

Descrição: Diante da ampliação do acesso das crianças as creches e as pré-escolas, o tema da avaliação vemocupando a agenda política, bemcomo o interesse acadêmico. Avaliar é umato político, importante elemento para a implantação de umprojeto educacional democrático que permita a igualdade de oportunidades para todas as crianças brasileiras. Comisso, tem-se uma demanda social por recomendações e normatizações que indiquemo caminho de construção de umatendimento de qualidade. No entanto, diferentes propostas disputamcompreensões sobre qualidade, avaliação e Educação Infantil. Identifica-se duas tendências sobre avaliação no Brasil: a primeira, voltada às condições de oferta; e a outra, ao desempenho dos alunos. Essas diferentes propostas trazemprojetos educacionais e sociais que estão emconfronto, configurando impasses que não se restringemà dimensão técnica, mas dizemrespeito à dimensão política da avaliação (SOUZA, 2017). As preposições ?na? e ?da? constantes do título distinguemdois objetos e dois contextos da avaliação, como salientaDidonet , emartigo sobre o tema. Distingue primeiro o microambiente, no qual os procedimentos de avaliação fazemparte do processo educativo, ou seja, são focados nas crianças enquanto sujeitos e coautoras de seu desenvolvimento. Osegundo, mais afeto aos sistemas de ensino, visa responder se e o quanto ele atende à sua finalidade, a seus objetivos e às diretrizes que definemsua identidade. Emsíntese, enquanto a primeira avaliação aceita uma dada educação e procura saber seus efeitos sobre as crianças, a segunda interroga a oferta que é feita às crianças, confrontando-a comparâmetros e indicadores de qualidade. Apresente pesquisa busca identificar como os novos marcos regulatórios incidemna avaliação e na qualidade do atendimento às crianças, bemcomo as estratégias de avaliação desenvolvidas pelos sistemas municipais de ensino para interrogar a qualidade da oferta que é feita às crianças da Educação Infantil. Oestudo irá abranger emnível macro os programas suplementares que a partir da expansão da escolaridade obrigatória se farão imperativos, conforme determina a EmendaConstitucional nº 59, e, emnível micro, pretende-se fazer umlevantamento dos modos utilizados pelos sistemas municipais de educação dos municípios doRio de Janeiro para atender a uma Educação Infantil de qualidade, incluindo as propostas de avaliação experimentadas no cotidiano das instituições.


Mônica Dias Peregrino Ferreira

Escola, Trabalho e Território: variações nos perfis e nas trajetórias escolares de jovens e não-jovens da EJA/EM

Descrição: Os efeitos das políticas de correção de fluxo escolar têm sido debatidos na literatura gerando conclusões polêmicas. Concorda-se que estas tiveram efeitos importantes sobre as taxas de aprovação e permanência e no combate à defasagem escolar. Mas continua-se a levantar dúvidas sobre sua eficácia em termos de combate às desigualdades educacionais nacionais. Neste projeto, buscamos abordar o tema a partir de uma nova perspectiva. Tomando a EJA/EM como margem do sistema regular de ensino, investiga-se aqui as trajetórias de duas gerações escolares separadas por tais políticas, propondo-nos a uma investigação acerca das maneiras como perfis e trajetórias escolares de jovens e não-jovens na EJA/EM variam de acordo com clivagens sociais clássicas (sexo, raça/cor da pele, renda...) e outras nem tanto (geração escolar, território, etc...), a partir de uma análise interseccional. Fazemos isso a partir da expansão do banco de dados ?Escola, Trabalho e Território?, fruto de um Survey aplicado na cidade do Rio de Janeiro e na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, respectivamente em novembro de 2013 e novembro de 2016.


Escola, Trabalho e Território: elementos para a compreensão dos modos de transição para a vida adulta de jovens em ?defasagem escolar? no Rio de Janeiro.

Descrição: Com a intenção de ampliar o âmbito das análises acerca das relações entre juventude e escola no Brasil e visando compreender o papel relativo desempenhado pela escola na vida dos jovens recentemente ?incluídos? nela, esta pesquisa busca aprofundar o conhecimento acerca das relações entre as formas de transição para a vida adulta e as trajetórias de escolarização de jovens em defasagem escolar em três grandes Regiões do município do Rio de Janeiro (Zonas norte, centro/sul e oeste). Tomando a escolarização truncada ? fenômeno que se manifesta em larga escala há décadas na escola brasileira, mas que toma novos contornos com a expansão precária da escola iniciada a partir da segunda metade da década de 1990 ? como um ?modo de escolarização? que atinge especialmente os jovens pertencentes às camadas de mais precária inserção social no País, e supondo o conjunto de jovens a ela submetido como um grupo cuja população apresenta contornos relativamente semelhantes, a proposta aqui presente buscará, através da realização de um survey, caracterizar, além da população estudada, as trajetórias escolares e as experiências de trabalho das mesmas, buscando entender o grau e o tipo de relacionamento entre estas, assim como suas possíveis variações nas regiões estudadas.


Nailda Marinho da Costa

Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira. Registro no Diretório do CNPq

Descrição: O NEPHEB é a denominação atual do antigo GEPHEB, grupo de pesquisa legalmente instituído em 2006, sendo registrado no Diretório de Pesquisa do CNPq. Na Unirio, o NEPHEB se configura como núcleo de pesquisa que teve origem em 2002, como Núcleo de Estudos em Educação Brasileira (NEB) fundado pelas professoras Angela Maria de Souza Martins e. Nailda Marinho da Costa. O Núcleo tem como perspectiva desenvolver trabalhos de pesquisa e extensão no campo da História da educação brasileira e da Filosofia da educação, sob a coordenação da Professora Doutora Nailda Marinho da Costa e vice-coordenação do Professor Doutor José Damiro de Moraes, professores que integram a linha de pesquisa intitulada: Políticas, História e Cultura em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIRIO. 


« Abril 2019 »
Abril
DoSeTeQuQuSeSa
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930