Portal UnirioGuia Telefônico Contatos
Você está aqui: Página Inicial / O Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGEdu

O Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGEdu

O Programa de Pós-graduação em Educação - (PPGEdu) existe desde 2004, conforme Resolução UNIRIO nº 2.498 de 05/02/2004, e é recomendado pela CAPES, segundo Parecer CNE, Portaria nº 4.310 de 21/12/2004, e Ofício nº 29/2004/CTC/CAPES, com nota 5.


Possui o curso de Mestrado Acadêmico em Educação desde 2004 e iniciou o curso de Doutorado em março de 2015, segundo a Resolução UNIRIO nº 4.336/2014.


Os cursos são presenciais, diurnos, gratuitos e o Programa já titulou 360 mestres e 9 doutores (atualizado em abril de 2019).


As pesquisas desenvolvidas têm ênfase nas áreas de Educação Infantil e Alfabetização, Educação de Jovens e Adultos, Educação Integral, Ciências e Educação, Cinema e Educação, Avaliação e
Currículo, História da Educação. 


O PPGEdu/UNIRIO tem a coordenação das Professoras Doutoras Maria Auxiliadora Delgado de Machado, Claudia Fernandes (coordenação geral e doutorado) e Elisângela Felisberto e Mônica
Peregrino (coordenação do mestrado).

LINHAS DE PESQUISAS MESTRADO

 

LINHA DE PESQUISA - PRÁTICAS EDUCATIVAS, LINGUAGENS E TECNOLOGIA

 

Investigam-se diferentes práticas e políticas que se embatem e se produzem outras no(s) cotidiano(s) escolares e/ou não escolares, na formação de professores, nos processos de avaliação e de organização do tempo escolar, dedicando atenção especial às questões que envolvem a desigualdade, a diferença e a diversidade. Estuda, ainda, metodologias aplicadas aos ensinos de ciências, de matemática e de língua materna, bem como diferentes formas de linguagem – verbais, não verbais ou imagéticas – presentes no mundo contemporâneo, em diversos suportes tecnológicos, considerando que, em todos os espaços educativos, são construídos conhecimentos e uma grande rede de comunicação.

 

 

DOCENTES

 

 

EMENTAS DAS PESQUISAS

 

Adriana Hoffmann Fernandes

 

Cinema e Produção de Sentidos: Cinema, cibercultura e narrativas: uso, consumo e formação de crianças, jovens e professores com o audiovisual. Processos de autoria no consumo e na produção de narrativas audiovisuais. Processos formativos com o audiovisual dentro e fora da escola, pensando as interrelacões também com os espaços das práticas e redes da cibercultura.

 

Andréa Rosana Fetzner

 

Ciclos, Avaliação e Currículo: Estudam-se propostas curriculares de redes de ensino que tenham organizado em ciclos o ensino fundamental, considerando que os períodos letivos sem reprovação escolar pressupõem perspectivas curriculares não fragmentadas em séries e não baseadas em pré-requisitos, a pesquisa propõe, baseando-se nos estudos sobre a democratização da educação e a interculturalidade, fazer uma análise da integração curricular nessas redes municipais de ensino. Com o estudo pretende-se (1) compreender como se dá a integração curricular nas propostas curriculares; (2) compreender como se dá a integração curricular nos planejamentos escolares entre os ciclos; (3) analisar as possíveis conciliações e articulações entre as diferentes culturas e conhecimentos escolares, que possibilitem o diálogo intercultural por meio das atividades propostas nas escolas. Priorizam-se estudos qualitativos de perspectiva crítica-hermenêuticaque preveem a análise (1) de documentos e propostas de secretarias de educação e da legislação, que incidam sobre as políticas de organização curricular e (2) de planejamentos desenvolvidos pelas professoras e professores das redes de ensino que busquem a articulação entre conhecimentos da experiência dos estudantes e conhecimentos a serem aprofundados na escola.

Carmen Irene C. de Oliveira

 

Cultura científica e mediação: Estuda as relações ciência e sociedade tendo em vista o contexto da constituição de uma cultura científica, abarcando diferentes estratégias que relacionam a educação científica com a comunicação, sobretudo, a divulgação da ciência. Nesse sentido, focaliza a) a problematização do uso de produtos imagéticos (fotografias, filme, quadrinhos etc.) no processo de produção de conhecimento, em contextos de divulgação e/ou popularização da ciência; (b) a análise dos discursos sobre educação e cultura científica e sua relação com as práticas e projetos educacionais e c) a articulação de diferentes formas de mediação no processo de comunicação da ciência em espaços formais e não formais.

 

Educação a distância: a abordagem multidisciplinar e multiprofissional e as mediações: Problematiza as pessoas e os processos diferenciados que são necessários ao desenvolvimento de atividades baseadas na modalidade a distância. Envolve a perspectiva de integração e interdependência de atividades diferenciadas que convergem no trabalho demandado na EAD, considerando, inclusive, o macro contexto legal. Focaliza, também, as práticas de mediação em diferentes níveis, considerando os vários atores, os materiais e as potencialidades tecnológicas envolvidas nas atividades educacionais na modalidade a distância. A mediação informacional nas relações pedagógicas na modalidade a distância.

Cármen Sanches Sampaio

Formação Docente (inicial e permanente), Investigação Narrativa e Experiência: Pesquisa, processos e práticas de formação de professores e professoras referendados pelos princípios epistemológico-metodológicos e políticos de alteridade, da investigação da própria prática, redes de formação docente e de estudos e pesquisas com os cotidianos em educação. Prioriza temas e questões vinculadas a educação infantil e alfabetização; leitura e escrita; infância(s) e diferença(s).

Cláudia Fernandes

Avaliação das aprendizagens, políticas de avaliação para o ensino fundamental e organização da escolaridade em ciclos: Realiza pesquisas com ênfase em currículo e avaliação das aprendizagens em contextos escolares, em especial, relacionadas à implantação dos ciclos nas escolas públicas e sua relação com a avaliação, a política educacional, o currículo e a formação de professores. As pesquisas contam com financiamentos da FAPERJ e CNPq. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas em Avaliação e Currículo/GEPAC, cadastrado no CNPq. A temática de pano de fundo que motiva os estudos e as pesquisas é o debate acerca do papel social da educação escolar hoje e sua relação com o fracasso ou sucesso escolar.

 

Celso Sanchez

 

CTS e Educação Ambiental: Problematiza as relações ciência, tecnologia e sociedade na perspectiva latino-americana em práticas educativas de educação ambiental em contextos escolares e não escolares.

 

Cláudia Miranda

 

Currículo, cultura (s), crítica pós-colonial e pensamento pedagógico  latino-americano para a formação de professores: Pesquisa políticas/práticas curriculares, as contribuições dos estudos culturais e da Antropologia da Educação analisando processos e experiências nas instituições e nos movimentos sociais.

 Daniel Fonseca de Andrade 

 

Educação ambiental: políticas públicas e práticas pedagógicas Estuda-se a relação entre políticas públicas e práticas pedagógicas de educação ambiental, com ênfase, mas não exclusividade, no ensino formal e público, com enfoque em como as políticas públicas de educação ambiental são institucionalizadas e se desdobram em práticas pedagógicas, e como que essas podem retroalimentar políticas públicas. Além disso, estuda-se também o tema da Educação ambiental no ensino superior/formação profissional em educação ambiental, com ênfase nos itinerários de implantação da educação ambiental em instituições, e na relação entre princípios e objetivos da educação ambiental e o uso de metodologias ativas e participativas em práticas pedagógicas dialógicas de educação ambiental.
Referenciais importantes que atravessam essas pesquisas são provenientes dos campos da complexidade, do diálogo, da ecologia (ou diálogo) de saberes e da decolonialidade.

 

 

Lúcia Helena Pralon de Souza

 

CTS e Ensino de Ciências e Saúde: Investiga as relações ciência, tecnologia e sociedade na perspectiva latino-americana em práticas educativas de Ciências e Saúde apoiados em diferentes mídias. Estuda as interações discursivas em materiais didáticos voltados para o ensino de ciências.

 

Maria Auxiliadora Delgado Machado

 

Formação de Professores, Relação Ciência e Arte: Estuda as relações ciência, tecnologia e sociedade na perspectiva latino-americana em práticas educativas de formação inicial e continuada de professores de ciências do ensino fundamental e médio, incorporando a esses estudos a relação ciência e arte como estratégia para identificação e enfrentamento das tensões relacionadas a esses temas.

 

Maria Elena V. Souza

 

Ideologia Racial Brasileira:. Estuda a diversidade étnico-racial na escola de ensino fundamental, as dimensões do ensino da cultura afro-brasileira, a discriminação racial nas escolas. Racismo no livro didático. Racismo e formação de professores. Implementação da Lei 10.639/03 e as ações afirmativas na educação.

 

Maria Luiza Süssekind

 

Currículo e Formação de professores no cotidiano escolar: Estuda currículos e formação no dialogo universidade-escolas públicas tendo como referencial político-epistemológico-metodológico os estudos nosdoscom os cotidianos em educação. Aborda temáticas concernentes aos estudos pós-estruturalistas, processos sociohistoricos, questões culturais a partir de tessituras de saberes e poderes; de redes de conhecimentos e subjetividades; práticas pedagógicas; dissenso; e, gênero no currículo. Pesquisa conversas e narrativas de professores entendendo as conversas complicadas que são os currículos como parte constitutiva dos processos de formação, autoformação e entendimento do mundo.

LINHA DE PESQUISA-  POLÍTICAS, HISTÓRIA E CULTURA EM EDUCAÇÃO

 

 Investigam-se temas interdisciplinares no campo da história, da filosofia, da cultura, buscando novos olhares sobre diferentes processos educacionais, formais ou não formais; as instituições educativas e culturas escolares e as relações existentes entre a cultura e as estruturas do poder, abarcando a política educacional no contexto das políticas públicas, com ênfase nas reformas educacionais; na legislação; nos programas e projetos governamentais; nas formas de avaliação e controle público; no financiamento da educação; na articulação entre Estado e Sociedade Civil e as contribuições dos movimentos sociais.Nos aspectos históricos-filosóficos da educação, pesquisa-se a escola; intelectuais; feminismo, socialismo e anarquismo; cultura; singularidade e subjetividade.

 

DOCENTE

 

 

EMENTAS DAS PESQUISAS

Ana Cristina Prado de Oliveira 

Gestão Escolar e Implementação de Políticas Publicas Educacionais: 

Descrição: Esta pesquisa tem como proposta investigar o exercício da gestão escolar na implementação de políticas educacionais, propondo uma análise que considere os diferentes espaços de regulação das políticas públicas (Barroso, 2006). Pretendemos analisar a implementação de políticas educacionais locais a partir da atuação do diretor escolar. O escopo da investigação é observar as práticas e os estilos de interações que os diretores escolares (Lipsky, 2010) estabelecem no exercício de suas tarefas referentes à implementação de políticas educacionais que visem a melhoria do trabalho escolar. Mapear e analisar as práticas e as interações dos burocratas de nível
de rua e de médio escalão nos processos de implementação permite compreender os resultados de sucesso e fracasso da política (Lotta, 2015). Assim, para atender ao objetivo desta proposta de pesquisa, utilizaremos uma metodologia mista. Em uma abordagem qualitativa, analisaremos documentos oficiais, faremos observações nas escolas selecionadas e entrevistas com os diretores e outros atores educacionais envolvidos na implementação da  política. Na abordagem quantitativa, observaremos possíveis associações entre a atuação dos diretores e o desempenho de seus estudantes nas avaliações educacionais em larga escala. A utilização dessas duas abordagens tem como finalidade oferecer uma compreensão holística sobre os processos de implementação das políticas educacionais locais – cujo foco é a atuação dos diretores escolares – e os benefícios que sua implementação pode trazer para os estudantes.

 

Bruno Adriano Rodrigues da Silva 

 

Política Educacional; Educação Integral e(m)tempo integral. Analisarparte da política educacional brasileira voltada para a permanência e elevação dos indicadores de qualidade na/da escola pública: o tempo e a diversidade das oportunidades educacionais; analisar os interesses dos grupos sociais que formulam os programas educacionais e a interferência deles no campo da educação. 

 

Diógenes Pinheiro

 

Avaliação de políticas em Educação: Pesquisa no campo da Sociologia da Educação e Avaliação de Políticas Públicas de Juventude, com ênfase nas seguintes áreas: análise de programas sociais e educativos, trajetórias juvenis e participação política da juventude

 

 

Eliane Ribeiro Andrade

 

Políticas públicas nas áreas de Juventude e Educação de Jovens e Adultos (EJA): Privilegia pesquisas voltadas para a compreensão e análise de políticas públicas e sociais nas áreas de juventude e educação de jovens e adultos, bem como desenvolve estudos sobre: perfis e trajetórias juvenis, identidades, desigualdades, o papel de atores sociais e institucionais na formulação de políticas públicas. Discute programas, indicadores sociais, efeitos, avaliação, tendências e perspectivas no contexto dos países sul-americanos.

 

 

Elisangela da Silva Bernado

 

Políticas Públicas e Gestão da Educação: Pesquisa políticas, programas e práticas de gestão da educação e de educação em tempo integral, abarcando os seguintes temas: gestão escolar e educacional; gestão democrática; políticas de formação docente; políticas de avaliação da educação básica; desigualdades educacionais; Programa Mais Educação.

 

Janaína Specht da Silva Menezes

 

Políticas públicas nas áreas de educação em tempo integral, planejamento, gestão e financiamento da educação: Estudos voltados para (1) políticas, programas e ações associadas à educação em tempo integral, na perspectiva da educação integral; (2) o financiamento da educação, gestão, acompanhamento e controle social dos recursos da educação; (3) planos (nacional, estaduais e municipais) de educação.

 

José Damiro de Moraes

 

 

 

Anarquismo e Educação: Estuda o conceito de educação integral em autores do século XIX e XX situados no campo socialista e anarquista que almejavam o desenvolvimento dos indivíduos em todas as suas dimensões. Consideramos que a recuperação histórica dos conceitos de educação integral presentes nos autores do século XIX e XX e nas experiências desenvolvidas sejam fundamentais para entender a sua influência do pensamento e das práticas anarquistas em educação no século XX e XXI.

 

Lígia Martha C. C. Coelho

 

Políticas e práticas de educação integral e de ampliação da jornada escolar / tempo integral:  Estudos relacionados às (a) políticas, projetos e experiências que historiam ou envolvem a ampliação da jornada escolar/tempo integral e/ou a educação integral e às (b) práticas educativas e/ou escolares que discutem os sujeitos, a organização dos tempos e espaços, as atividades curriculares e de gestão que se materializam no dia-a-dia das escolas públicas, na perspectiva da educação integral e/ou ampliação da jornada escolar/tempo integral.

 

Luiz Carlos Gil Esteves

 

Políticas públicas na área da juventude e educação: Estudos e pesquisas com ênfase nos seguintes campos: avaliação de ações e programas sociais; perfis, trajetórias e expectativas de jovens, estudantes e educadores; financiamento público da educação básica (FUNDEF e FUNDEB, gestão, acompanhamento e controle social de recursos educacionais).

 

Maria Fernanda Rezende Nunes

 

Políticas públicas voltadas para a infância e educação infantil: Pesquisa o impacto das políticas educacionais nacionais e municipais na educação infantil; a relação entre as políticas públicas, a gestão das creches e pré-escolas e as propostas educativas; formação dos profissionais de educação infantil; perfil e trajetórias dos gestores, professores, crianças e responsáveis.

 

Mônica Dias Peregrino Ferreira

 

 

O Grupo de Pesquisas “Juventude, Escola, Trabalho e Território (JETT)”, a partir de bases de dados acerca de conjuntos delimitados da população de jovens (a partir das clivagens sexo, raça, classe, faixa de idade), busca investigar as mudanças trazidas por processos que, em seus limites e contradições, permitiram, primeiramente, o ingresso de jovens em instituições e processos antes restritos a porção mínima da juventude no País. Ao mesmo tempo, investigamos também os processos que, na atualidade, colocam em risco tais conquistas. Os estudos aqui presentes buscam compreender o papel relativo desenvolvido pela escola (em sua parceria com outras instituições de socialização juvenil, tais como o trabalho, a militância, a família, os grupos de pares...) nos processos de transição para a vida adulta, assim como as desigualdades e diferenças que os demarcam, dando particular importância ao território de moradia. Para isso, operamos: com a construção e implantação e análise de bases de dados que fornecem subsídios para as pesquisas do grupo, e ao mesmo tempo, aprofundamos temas, questões e aspectos das pesquisas, através do uso de metodologias qualitativas, numa apreensão híbrida de nossos objetos de pesquisa. Organizamos ainda um Grupo de Estudos semanal para a construção de ferramentas e para o recorte e a análise de questões pertinentes para a ampliação do cardápio teórico do grupo, para conhecimento de outras investigações e para a construção de ferramentas investigativas, de forma a operacionalizarmos nossas pesquisas. Atualmente funcionamos a partir de duas linhas de investigação: Juventude, Escola e Trabalho em espaços periféricos, e Efeitos da ampliação do direito à educação sobre os processos de escolarização de jovens.

 

 

Nailda Marinho da Costa

 

Mulheres no ensino superior: trajetórias de lutas e conquistas: Estudo que adota a história das mulheres articulada a história da educação tendo em vista a inserção feminina nos cursos superiores no Brasil do século XIX ao XX. O projeto se estrutura em duas frentes de trabalho: (1) a primeira pretende mapear acervos e fontes documentais (escritas e imagéticas) pertinentes a história da educação feminina de ensino superior e assim propiciar a produção de um repertório de fontes; (2) a partir desse mapeamento, identificar e analisar a trajetória de luta das mulheres para acesso e permanência neste nível de ensino. Para isso, tem como metodologia a pesquisa bibliográfica e a pesquisa e análise documental; e como perspectiva teórica os estudos de gênero. Sendo assim, a investigação caminha pretendendo superar a concepção de que estudar a educação feminina é excluir os homens dessa discussão.

LINHA DE PESQUISA DOUTORADO

 

LINHA DE PESQUISA  Políticas e práticas em educação

 

Investigam-se questões referentes às políticas públicas e variadas práticas educativas em contextos da educação básica e da educação não-formal, tendo como ênfase: alfabetização; formação do educador; linguagens verbais e não-verbais; juventude e infância; currículo.

 

DOCENTE

 

EMENTAS DAS PESQUISAS

 

Adriana Hoffmann Fernandes

Doutora em Educação

Cinema, cibercultura e narrativas: uso, consumo e formação de crianças, jovens e professores com o audiovisual. Processos de autoria no consumo e na produção de narrativas audiovisuais. Processos formativos com o audiovisual dentro e fora da escola, pensando as interrelacões também com os espaços das práticas e redes da cibercultura.

 

Andréa Rosana Fetzner

Doutora em Educação

Ciclos, Avaliação e Currículo: Estudam-se propostas curriculares de redes de ensino que

tenham organizado em ciclos o ensino fundamental, considerando que os períodos

letivos sem reprovação escolar pressupõem perspectivas curriculares não fragmentadas em séries e não baseadas em pré-requisitos, a pesquisa propõe, baseando-se nos estudos sobre a democratização da educação e a interculturalidade, fazer uma análise da integração curricular nessas redes municipais de ensino. Com o estudo pretende-se (1) compreender como se dá a integração curricular nas propostas curriculares; (2) compreender como se dá a integração curricular nos planejamentos escolares entre os ciclos; (3) analisar as possíveis conciliações e articulações entre as diferentes culturas e conhecimentos escolares, que possibilitem o diálogo intercultural por meio das atividades propostas nas escolas. Priorizam-se estudos qualitativos de perspectiva crítica-hermenêutica que preveem a análise (1) de documentos e propostas de secretarias de educação e da legislação, que incidam sobre as políticas de organização curricular e (2) de planejamentos desenvolvidos pelas professoras e professores das redes de ensino que busquem a articulação entre conhecimentos da experiência dos estudantes e conhecimentos a serem aprofundados na escola.

 

 

Claudia de Oliveira Fernandes

Doutora em Educação

 

Realiza pesquisas com ênfase em currículo e avaliação das aprendizagens em contextos escolares, em especial, relacionadas à implantação dos ciclos nas escolas públicas e sua relação com a avaliação, a política educacional, o currículo e a formação de professores. As pesquisas contam com financiamentos da FAPERJ e CNPq. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas em Avaliação e Currículo/GEPAC, cadastrado no CNPq. A temática de pano de fundo que motiva os estudos e as pesquisas é o debate acerca do papel social da educação escolar hoje e sua relação com o fracasso ou sucesso escolar.

 

atividades diferenciadas que convergem no trabalho demandado na EAD, considerando, inclusive, o macro contexto legal. Focaliza, também, as práticas de mediação em diferentes níveis, considerando os vários atores, os materiais e as potencialidades tecnológicas envolvidas nas atividades educacionais na modalidade a distância. A mediação informacional nas relações pedagógicas na modalidade a distância.

 

 

 

 

Carmen Sanches Sampaio

Doutora em Educação

Investigação Narrativa, Experiência e Formação Docente (inicial e permanente): pesquisa, processos e práticas de formação de professores e professoras referendados pelos princípios epistemológico-metodológicos e políticos de alteridade, da investigação da própria prática, redes de formação docente e de estudos e pesquisas com os cotidianos em educação. Prioriza temas e questões vinculadas a educação infantil e alfabetização; leitura e escrita; infância(s) e diferença(s).

 

Carmen Irene C. de Oliveira Doutora em Ciência da Informação

Mídias, CTS e Divulgação Científica: Estuda as relações ciência, tecnologia e sociedade na perspectiva latino-americana (a) na problematização do uso de produtos imagéticos (fotografias, filme, quadrinhos etc.) no processo de produção de conhecimento, em contextos de divulgação e/ou popularização da ciência e (b) na análise dos discursos sobre educação e cultura científica e sua relação com as práticas e projetos educacionais.

 

Celso Sanchez

Doutor em Educação

CTS e Educação Ambiental: Problematiza as relações ciência, tecnologia e sociedade  na  perspectiva  latino-americana  em  práticas  educativas  de educação ambiental em contextos escolares e não escolares.

 

Eliane Ribeiro Andrade

Doutora em Educação

Políticas públicas nas áreas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Juventude: Estuda a avaliação de programas sociais, bem como pesquisas sobre perfis, trajetórias e expectativas de jovens vinculados a programas educativos e estudos comparativos sobre juventude e EJA no âmbito da região sul-americana.

 

 

Guaracira Gouvêa

Doutora em Ciências

Mídias, CTS e Práticas Educativas: Investiga as relações ciência, tecnologia e sociedade na perspectiva latino-americana em práticas educativas do ensino de  ciências  apoiadas  em  diferentes  mídias  e  realizadas  em  diferentes contextos sociais.

Práticas de Leitura, Imagem e Ciência: Estuda práticas de leitura de imagens sobre as ciências naturais em diferentes mídias no contexto de sua produção,

circulação e recepção.

 

 

 

 

Lígia Martha C. C. Coelho

Doutora em Educação

Políticas e práticas de educação integral e de ampliação da jornada escolar / tempo integral: Estudos relacionados às (a) políticas, projetos e experiências que historiam ou envolvem a ampliação da jornada escolar/tempo integral e/ou a educação integral e às (b) práticas educativas e/ou escolares que discutem os sujeitos, a organização dos tempos e espaços, as atividades curriculares  e  de  gestão  que  se  materializam  no  dia-a-dia  das  escolas públicas, na perspectiva da educação integral e/ou ampliação da jornada escolar/tempo integral.

 

Maria Auxiliadora Delgado

Machado

Doutora em Astronomia

Formação de Professores: Estuda a formação de professores a partir de práticas direcionadas à emergência da curiosidade epistemológico conforme o referencial de Paulo Freire. Dentre essas práticas, estuda em particular os processos   dialógicos   de   se   trabalhar   os   conteúdos   de   ciências,   as possibilidades da relação ciência e artes, a inserção das TICs  em sala de aula e a constituição de espaços não formais de educação.

 

Maria Fernanda Rezende Nunes

Doutora, Educação

Políticas públicas na área da infância, gestão, formação de professores e educação infantil. Pesquisa o impacto das políticas educacionais nacionais e municipais na educação infantil; a relação entre as políticas públicas, a gestão das creches e pré-escolas e a formação dos profissionais de educação infantil.