Você está aqui: Página Inicial / Pesquisa / Projetos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa

Projetos de Pesquisa em andamento

  • A Lei de Acesso à Informação no Brasil: políticas arquivísticas, agências, atores e processos no cenário político-informacional do Governo Federal entre 2013 e 2016

Descrição: A Lei de Acesso à Informação Pública (LAI), em vigor desde 16 de maio de 2012, supõe o cidadão no epicentro de uma ordem informacional que está longe de existir no Estado brasileiro. As relações entre Estado e Sociedade num contexto de implantação da LAI, considerando as formas de produção, gestão e uso das informações arquivísticas governamentais e suas configurações político-informacionais, constituem o interesse fundamental deste projeto de pesquisa. Sem uma agenda voltada para a definição e implementação de políticas públicas arquivísticas, tendem a resultados limitados as iniciativas e práticas que pretendem garantir o acesso regulado pela LAI. Quais os mecanismos que, nos planos legal e político-gerencial, podem minimizar a defasagem entre a lei e a realidade histórico-social? Quais os atores do Estado e da sociedade civil envolvidos diretamente na implementação da LAI nos planos federal, estadual e municipal? Como será a participação desses atores no período 2013-2016? Quais as agências informacionais e não-informacionais envolvidas nos processos de aplicação da LAI? ? Como serão estruturados, ao longo da regulamentação da LAI, a guarda e acesso a informações relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem, produzidas pelos órgãos públicos em decorrência das sua atividades? Em que medida os serviços de arquivos das administrações públicas e os Arquivos Nacional, estaduais e municipais estão incluídos nas dimensões política e legal da LAI? Como essas instituições atuarão no processo de regulamentação da LAI entre 2013 e 2016? Além do objetivo de analisar as configurações políticas, sociais, científicas e informacionais, inerentes ao processo de implantação da Lei de Acesso à Informação Pública e suas interfaces com as políticas arquivísticas do Governo Federal no período 2013-2016, pretende-se subsidiar o ensino e a pesquisa em Ciência da Informação e Arquivologia sobre a formulação, a implantação e a avaliação de políticas públicas arquivísticas e suas.

Coordenação: José Maria Jardim – Desde 2013 - Finalizado 2018

 

  • A produção do conhecimento sobre avaliação de documentos arquivísticos no Brasil entre 1972-2012

Descrição: Avaliação de documentos arquivísticos é o processo de análise de documentos de arquivo, que estabelece os prazos de guarda e a destinação, de acordo com os valores que lhes são atribuídos. A avaliação de documentos é um procedimento da Gestão de Documentos e um dos pilares do fazer e pensar os arquivos. Neste projeto de pesquisa, parte-se do pressuposto de que a literatura da área sobre avaliação é uma das principais referências para diminuir os riscos inerentes à função arquivística de avaliar (da teoria para a prática). E que os relatos sobre as experiências vivenciadas na implementação de procedimentos de avaliação (da prática para a teoria) podem possibilitar a identificação de regularidades que servirão de parâmetros teórico-metodológicos para novos procedimentos. Desconhece-se o que já foi produzido e publicado em português, no Brasil, sobre avaliação de documentos arquivísticos. Isto é, não se conhece a quantidade e a qualidade de artigos, comunicações e livros produzidos e publicados. Acredita-se que esse material, fundamental para o ensino teórico e prático, bem como para a própria implementação de processos de avaliação nos arquivos, encontra-se disperso no tempo e em periódicos da Arquivologia e de área afins. Quantos artigos, comunicações e livros foram publicados no tema? Quando começou a se publicar sobre avaliação? Como a avaliação de documentos arquivísticos se apresenta, ao longo do tempo, nas publicações identificadas? O presente projeto de pesquisa visa a contribuir para uma melhor compreensão dos processos teóricos e práticos da avaliação de documentos ao tratar de identificar a quantidade e a qualidade da produção de conhecimento arquivístico sobre o tema, no Brasil, nos últimos 40 anos. Espera-se, assim, poder reunir o conhecimento teórico e a experiência prática registrados nos textos publicados. O objetivo geral é (re)conhecer o estado da arte do conhecimento arquivístico produzido e publicado sobre avaliação de documentos, no Brasil, em port.

Coordenação: Ana Celeste Indolfo e Sérgio Conde de Albite Silva – Desde 2012

 

  • Arquivo e escola: reflexões sobre a contribuição da educação patrimonial na tessitura do conhecimento

Descrição: Busca focar a relevância do Arquivo, enquanto, patrimônio cultural, logo, um instrumento potencializador das práticas educativas, buscando dialogar com outras esferas, na tentativa de apresentar o quanto o mesmo pode ser explorado e utilizado no processo de escolarização, que vai desde a educação infantil, podendo ser ampliado até o ensino médio e as universidades.

Coordenação: Priscila Ribeiro Gomes - Desde 2010

 

  • A evolução do tratamento e as especificidades das fotografias em arquivos pessoais.

Descrição: A popularização do uso da fotografia, introduzida no âmbito familiar, levou à formação de acervos fotográficos pessoais. Com a continuidade do avanço tecnológico, os acervos continuam a ser gerados, porém em outros suportes. A pesquisa tem como objetivo geral criar uma metodologia para tratamento de acervo fotográfico pessoal particular em suporte papel e em meio digital. São objetivos específicos: identificar as diferenças entre acervos pessoais de pessoas públicas e de anônimos; adaptar para acervos pessoais não-institucionais , os procedimentos utilizados em instituições que mantém acervos pessoais, por meio da análise de exemplos; verificar formas de organização para este tipo de acervo que permita a recuperação da informação e a preservação da memória; definir maneiras que possibilitem a preservação dos suportes e das imagens; determinar métodos compatíveis de organização e de preservação para estes acervos pessoais em diferentes suportes; criar modelos de armazenamento, recuperação e preservação dos acervos em suporte digital. Será revista a literatura especializada com vistas à ampliação do marco teórico. O marco empírico incluirá a análise do tratamento dado a arquivos fotográficos pessoais por instituições que mantém estes acervos. A discussão acerca da adaptação dos procedimentos utilizados em acervos pessoais institucionais para acervos pessoais não-institucionais busca não somente o preenchimento de uma lacuna na bibliografia arquivística, mas dar um passo na direção de uma Arquivologia mais humanística entrosando o indivíduo com o universo documental que o cerca.

Coordenação: Anna Carla Almeida Mariz – Desde 2013

  

  • Com régua e compasso, os traços da cidade. Engenheiros e arquitetos do Rio, sua trajetória na administração pública

Descrição: O projeto visa identificar e mapear a atuação de algumas gerações da Engenharia Pública que, por meio da coleta de depoimentos orais, identificará os perfis de arquitetos e engenheiros que nela atuaram entre 1950 e 2000. Este grupo selecionado exerceu suas atividades profissionais na administração pública do Rio de Janeiro, em suas várias instâncias institucionais: Distrito Federal, estado da Guanabara e município do Rio de Janeiro. Circunscrever as atividades desses profissionais e suas redes de sociabilidades é poder vislumbrar e refletir sobre os jogos de poder nas ocupações dos espaços urbanos, pelo poder público. Já que o grupo foi escolhido por atuar como responsáveis por elaborar os projetos, fiscalizar e acompanhar as obras que transformaram o cenário urbano a partir das marcas deixadas na cidade/Capital quando da transferência para Brasília. A constituição deste acervo está em sincroniza com a constante ampliação do Acervo Sonoro do Arquivo Geral a Cidade do Rio de Janeiro, além de ser de fundamental importância para os projetos de Gestão Documental implementados pelo AGCRJ junto as Secretarias de Urbanismo e de Obras da Prefeitura da Cidade do RJ.

Coordenação: Beatriz Kushnir - Desde 2014

 

 

  • Formação em Arquivologia a Distância: estado da arte 2014-2016

Descrição: Investiga a viabilidade da efetivação de um bacharelado em Arquivologia a distância no Brasil. Pressupõe-se a modalidade a distância como mais um caminho a ser explorado no que tange ao acesso e à democratização do ensino. Neste sentido, acreditamos que refletir sobre os benefícios de um curso a distância em Arquivologia se faz salutar não só para o desenvolvimento da área, mas principalmente para a sociedade, pois possibilitará que novas redes de conhecimento sejam tecidas com novos sujeitos. Deste modo, como metodologia, faremos uso da pesquisa bibliográfica e também de um estudo exploratório, o que nos possibilitará um levantamento dos atuais cursos, suas instituições mantenedoras, seus diálogos com EaD e as perspectivas futuras para criação de curso de bacharelado a distância.

Coordenação: Luiz Cleber Gak – Desde 2014 - Finalizado em 2017

  

  • Institucionalização da arquivologia no Brasil: as décadas de 1940 a 1970

Descrição: Este projeto visa uma abordagem do processo de institucionalização da arquivologia no Brasil, a fim de compreender a sua evolução histórica, identificando a gênese das práticas e do conhecimento arquivístico no país entre as décadas de 1940 e 1970, tomando como marcos a atuação do Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP), a gestão do historiador José Honório Rodrigues na direção do Arquivo Nacional (1958-1964), o início do projeto do sistema de arquivos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1959, e a criação e atuação da Associação dos Arquivistas Brasileiros (AAB), a partir de 1971. Procura analisar a dinâmica social que está presente no conhecimento estruturado e também nas intenções e estratégias dos diferentes atores que produzem, reproduzem e discutem a arquivologia, isto é, atuam na concepção de uma nova profissão e na institucionalização da disciplina neste período. À luz de uma análise que procurar combinar elementos conceituais e metodológicos da história e da sociologia da ciência, o estudo acompanha a trajetória histórica da disciplina no país e sua conformação por meio da reflexão sobre diferentes eventos do período.

Coordenação: Paulo Roberto Elian dos Santos – Desde 2012

  

  • Gestão integrada de acervos fotográficos: da conservação/preservação à recuperação da informação

Descrição: O projeto pretende realizar um estudo que analise a situação da gestão de acervos fotográficos nas instituições de guarda de acervos históricos procurando refletir sobre as ações, predominantemente realizadas de forma desvinculada, entre as áreas de conservação/preservação e de organização desses conjuntos. Num primeiro momento, realizar um levantamento com vistas a um diagnóstico dos principais problemas de gestão encontrados nesses ambientes de guarda e, num segundo momento, propor diretrizes para uma gestão integrada das fotografias de caráter histórico. As diretrizes para uma gestão integrada de acervos fotográficos pretende ser um produto da discussão teórica e metodológica dos campos da conservação preventiva e preservação de materiais fotográficos, interconetada com as teorias e metodologias de tratamento técnico de fotografias em arquivos e coleções.

Coordenação: Aline Lopes de Lacerda – Desde 2015

 

 Os instrumentos de pesquisa das instituições custodiadoras de acervos arquivísticos na cidade do Rio de Janeiro

Descrição: A divulgação dos acervos arquivísticos para um público amplo que comumente não visitaria os arquivos tem em vista a função social e cultural desse recurso para a construção da memória social. Esse aspecto torna desejável que se busque atingir um público cada vez maior para os arquivos. O estudo das condições do acesso aos documentos de arquivo por parte da população concorre para a construção da cidadania e para a efetivação do direito à informação. Visando atender à demanda de ampliar os usos e os usuários dos acervos arquivísticos no Estado do Rio de Janeiro, este projeto tem por objetivo geral investigar os obstáculos à ampliação do acesso aos documentos de arquivo, considerando a existência das instituições que anunciam ter essa finalidade para os acervos que organizam e preservam. Esta investigação não só amplia o conhecimento sobre os arquivos como recurso informacional para o cidadão, mas principalmente propicia a produção de conhecimento sobre um tema fundamental para a emergência de novas discussões no espaço acadêmico envolvendo diversos atores sociais.

Coordenação: Eliezer Pires da Silva - Desde 2014

  

  • Martírio, profetismo e santidade nos documentos e memórias da luta social de Frei Tito de Alencar Lima

Descrição: Buscamos compreender as interseções, aproximações e distanciamentos entre memória e sua produção material a partir de uma diversificada produção memorialística fundada no suicídio do Frei dominicano Tito de Alencar Lima (1945-1974). Propomos diálogos interdisciplinares com a Antropologia, em especial em sua preocupação com a função social dos objetos. Interessa-nos os debates acerca da cultura material no que se aproxima do que propomos conceitualmente como cultura documental. Pelo estudo da produção material dentro e fora do universo religioso católico, visamos compreender o arcabouço discursivo de memórias identitárias de um segmento da Igreja Católica denominado de catolicismo ou cristianismo libertador em torno da figura emblemática de Frei Tito.

Coordenação: João Marcus Figueiredo Assis - Desde 2014