código do Google analytics Especialista destaca que pandemia exige forte inovação na área da Saúde — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoria Imprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

icone de uma filmadora com auto falanteAudiovisual

Você está aqui: Página Inicial / Especialista destaca que pandemia exige forte inovação na área da Saúde

Especialista destaca que pandemia exige forte inovação na área da Saúde

por Comunicação publicado 06/04/2020 17h16, última modificação 06/04/2020 18h18
Pesquisador italiano Ardigò Martino participou de conferência virtual promovida pelo Departamento de Enfermagem de Saúde Pública na última quinta-feira (2)

O professor e pesquisador italiano Ardigò Martino foi o primeiro convidado da série de conferências promovidas pelo Departamento de Enfermagem de Saúde Pública (Desp) da UNIRIO. Com a participação virtual de mais de cem convidados, Ardigò abordou na última quinta-feira (2) o tema "COVID-19: experiências, desafios e perspectivas".

Para o especialista, o momento é propício e exige forte inovação na área da Saúde, em diferentes níveis, o que obriga a todos “pensarem fora da caixa”. Segundo ele, a atual pandemia se difere de outras já enfrentadas principalmente por algumas características do vírus, que propiciam um contágio rápido, um tempo de apresentação de sintomas não tão curto e um alto número de assintomáticos.

Ardigò defende que a adoção de testagem massiva, seguida de quarentena para os positivos, é a medida mais efetiva para suprimir a epidemia, desde que adotada precocemente. No entanto, já se constata a falta não apenas de testes como de equipamentos de proteção individual (EPIs), com dificuldade de abastecimento no mercado global, o que exige uma reestruturação e inovação nos processos de produção.

O pesquisador destacou ainda o papel central das unidades de atenção primária na busca ativa de pacientes e no manejo de casos de menor gravidade. Esses espaços, alertou o pesquisador, precisam estar estruturados para atender não só os casos de COVID-19, mas também os problemas de saúde rotineiros. "Isso depende da capacidade de inovar também as estratégias de cuidado", apontou.

A série de conferências virtuais prossegue nesta terça-feira, 7 de abril, com a participação do presidente da Andifes, João Carlos Salles, com o tema Universidade em tempos de pandemia e isolamento social: desafios e responsabilidades.

registrado em: Coronavírus

Capes CNPQ Imagem Rede Unirio