código do Google analytics Docente da Escola de História analisa 'segunda escravidão' no Brasil — Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Portal do Governo Brasileiro

Webmail | Guia Telefônico |  Perguntas Frequentes |  Fale ConoscoOuvidoria Imprensa

Central de Conteúdos

Icone de um calendárioEventos

Ícone de um jornal dobradoPublicações

ícone periódicosPortal de Periódicos

icone de uma filmadora com auto falanteAudiovisual

Você está aqui: Página Inicial / Docente da Escola de História analisa 'segunda escravidão' no Brasil

Docente da Escola de História analisa 'segunda escravidão' no Brasil

por Comunicação — publicado 10/01/2022 10h36, última modificação 10/01/2022 10h36
Movimento ocorreu a partir da Revolução Industrial, destaca a professora Mariana Muaze, em reportagem do programa 'Globo Rural'

Entre os anos de 1800 e 1850, o Brasil recebeu mais de 2 milhões de escravizados, dos quais cerca de 60% desembarcaram nos portos da região Sudeste, que abasteciam fazendas de café, principalmente do Vale do Paraíba.

Segundo a professora Mariana Muaze, da Escola de História, esse movimento caracteriza a 'segunda escravidão' no Brasil, que ocorreu a partir da Revolução Industrial, quando se fortalece a relação entre escravidão e capitalismo.

A docente da UNIRIO faz uma análise sobre este período em reportagem do programa Globo Rural sobre fazendas de café do Vale do Paraíba, veiculada neste domingo, 9 de janeiro.

Confira essa e outras notícias na página UNIRIO na Mídia.


Capes CNPQ Imagem Rede Unirio