Portal UnirioGuia Telefônico Contatos
Você está aqui: Página Inicial / Dissertações Defendidas em 2020

Dissertações Defendidas em 2020

Arquivo image/x-icon PROCESSO CRIATIVO EM DANÇA: UMA PROPOSTA DE PLANO DE CURSO PARA A ABORDAGEM DA DANÇA NA ESCOLA DE ENSINO BÁSICO
Discente: Michelle Netto Luiz Resumo: No presente trabalho busca-se apresentar e discutir a relevância do ensino da dança no ensino formal, tendo como foco a importância do processo que enfatiza a criação, a descoberta do corpo e do espaço. Para isso, apresentamos um plano de curso em dança voltado para crianças da Educação Infantil e aplicado na Escola Municipal Bom Pastor de Juiz de Fora – MG a partir do ano de 2017 pela pesquisadora deste trabalho, a qual é professora de dança da instituição. O plano de curso dialoga com a questão da presença da dança na escola de ensino formal, assim como sua acuidade, envolvendo autores que defendem ideias da dança educação, da importância da experiencia, do desenvolvimento infantil e de uma educação voltada para construção integral da criança. Serviram de base para esta discussão os autores René Scherer (2009), Paulo Freire (1996 e 1986), Vivian Cáfaro (2016), Silvia Soter (2016), Rudolf Laban (1978), Marcia Strazzacappa (2001), Isabel Marques (1997 e 2000), Graciele Mattos (2013) e Edna Christine Silva (2015), além de documentos educacionais nacionais.
Arquivo Citrix ICA settings file DIÁRIO DE CLASSE: O TEATRO COMO FERRAMENTA DE TRANSFORMAÇÃO PESSOAL E COLETIVA DENTRO DA ESCOLA PÚBLICA
Discente: Rosa Maria Felix Resumo: A presente dissertação apresenta como o ensino de arte, especificamente de teatro, pode contribuir no desenvolvimento emocional e intelectual de alunos da rede pública do Rio de Janeiro. Observando três importantes pontos: educação, psique (destacando parte da teoria de Carl Gustav Jung sobre a evolução da mente humana, sua teoria dos arquétipos, em especial Persona, Sombra, Anima, Animus e Eu.) e arte. A dissertação ainda apresenta exemplos práticos, esclarecendo como o Teatro pode ser inserido no contexto de mudança do pensamento e construção individual de jovens estudantes de escola pública, explorando quais os meios e fins das Artes Cênicas e sua forma de contribuição para o indivíduo dentro do contexto escolar. Tentando apresentar, por meio de teoria e prática, a importância do teatro na educação básica e sua relevância enquanto disciplina independente.
Arquivo ENSAIO PARA A CRIAÇÃO DE UMA ABORDAGEM SISTÊMICA DO ENSINO DE ARTES CÊNICAS PARA CRIANÇAS E JOVENS
Discente: Fernando Neder Resumo: O Memorial Analítico Descritivo que o leitor tem em mãos, acompanha o processo de preparação, criação e montagem do espetáculo “Zaratustra – uma história de desconquista”. Criação coletiva dos alunos da oficina de Artes Integradas no Núcleo de Arte Leblon, a partir de uma ideia original do professor Fernando Neder. Tal Memorial visa colocar a prova uma metodologia em formação chamada Corpo Expressivo – uma abordagem sistêmica do ensino de Artes Cênicas, observando sua eficácia e seus pontos de fragilidade, a partir dos fundamentos, conceitos e práticas absorvidos de outras abordagens, demonstrando sua vocação transdisciplinar.
Arquivo Octet Stream POR UMA PEDAGOGIA DA IMPROVISAÇÃO: OS PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE KEITH JOHNSTONE NO CONTEXTO DA SALA DE AULA
Discente: Amanda Xavier Resumo: A presente pesquisa tem como objeto o estudo da prática do ensino do teatro no contexto extracurricular em uma escola particular da Zona Sul do Rio de Janeiro, com alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental I. Com eles, utiliza-se como método principal de trabalho o Sistema Impro criado na década 50 pelo diretor de teatro inglês, Keith Johnstone e que é utilizado até hoje. Esse é um Sistema de ensino de improvisação através de jogos, que tem como objetivo final a criação de um espetáculo totalmente improvisado. Porém, no cenário da escola brasileira em questão, o ensino do Impro acontece como uma pedagogia usada em sala e como fundamento para o ensino do teatro dentro do contexto escolar. Suas técnicas de trabalho despertam a imaginação, a espontaneidade e originalidade em seus alunos, sem contar que ele parte da premissa de que não há erro e que a primeira ideia que nos vêm à cabeça é sempre a melhor. O trabalho também é focado na criação de histórias e funciona como uma alavanca para a autoestima. Esta pesquisa procura contribuir com a divulgação do trabalho de Johnstone, assim como o seu uso na pedagogia do teatro onde tem se mostrado efetiva como ensino e como colaboradora para a divulgação dos elementos teatrais. Com estes alunos, o Impro vem como um meio de aprendizado e não como um fim, ou seja, não realizando-se espetáculos totalmente improvisados com a faixa-etária estudada, mas seus conceitos e seus jogos os encaminham para o espetáculo final que parte de um texto e possui elementos das improvisações criadas em sala de aula.
Arquivo DO JOGO CORPORAL AO JOGO DE CENA: MAV E IMPRO NO ENSINO DE ARTES CÊNICAS
Discente: Bianca Cavalleiro Resumo: O presente trabalho discorre sobre a experiência da minha prática pedagógica como professora de Artes Cênicas na grade curricular, dentro do contexto de uma escola da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio de Janeiro. A pesquisa aborda os conceitos e princípios de duas metodologias: MAV – metodologia Angel Vianna (sensibilização corporal e jogos corporais) – e IMPRO – metodologia com jogos de improvisação teatral de Keith Johnstone. Uma proposta de integração entre elas é conduzida com as dinâmicas pedagógicas (aulas-oficina). O objetivo deste trabalho é investigar um processo de ensino aprendizagem do teatro através da improvisação-objeto de estudo nas duas metodologias. Ressaltando o trabalho corporal nas aulas de Artes Cênicas, à luz da MAV, o estudo valoriza a libertação de corpos e mentes que são controlados pelo sistema tradicional “maçante” de ensino e, desafia recuperar os contatos corporais numa época em que os alunos estão cada vez mais inseridos na esfera digital. Em relação à aplicabilidade dos jogos de IMPRO como possibilidade pedagógica, experimenta-se outra modalidade de improvisação, perspectivando-se novos caminhos para a aprendizagem do teatro ao investir em uma forma diferente de experimentar, criar e construir a cena. Permeando as reflexões, os apontamentos, os questionamentos e as críticas, destaca-se como eixo teórico a referência do conceito de Experiência (saber de Experiência) do educador Jorge Larossa Bondía, que dialoga com referenciais teóricos das áreas do ensino do teatro e da educação somática, além de áreas afins do conhecimento.
Arquivo O TEATRO COMO DISPOSITIVO POTENCIALIZADOR NAS AÇÕES DO PROINAPE
Discente: Alessandra Garcia Resumo: Esta pesquisa relata a experiência do projeto O Corpo Expressivo no Espaço Escolar (iniciado no segundo semestre de 2017 e tomado como objeto de análise desta data até o segundo semestre de 2019), que faz parte do Programa Interdisciplinar de Apoio às Escolas Públicas – PROINAPE, em que o teatro é o dispositivo facilitador e norteador das ações da equipe interdisciplinar. O projeto tem como objetivo despertar a consciência do sujeito enquanto protagonista da sua história, ativando suas potencialidades, fazendo-o experimentar e colocar em prática sua produção e construção, pelo caminho das artes cênicas, no processo de autoconhecimento (do corpo, dos seus limites e de suas possibilidades).
Arquivo Octet Stream Ocupando espaços clandestinos e ressignificando corpos na escola
DISCENTE: LIGIA DA CRUZ SILVA RESUMO: Por meio de um exercício híbrido de escrita, discuto como o teatro ocupa o espaço da escola e como ocupa os corpos dos alunos e alunas colocando-os em expressão. Proponho uma fricção entre a inadequação do espaço na escola disciplinar e a potência da centelha criadora da linguagem teatral. Essa centelha transforma as aulas em um exercício de desvio dessa instituição opressora, que insiste em domesticar e alienar os corpos para torná-los dóceis. Desse modo, a professora, com seus alunos, pretende produzir a sua contra-escola, mediante diversos dispositivos pedagógicos, culturais e políticos. Apresento, como experimentação, três processos criativos vividos na sala de aula. A partir de diversos fragmentos e evidências (desenhos, anotações, exercícios, textos, fotos), elucida-se essa trajetória pedagógica, que se dá em uma escola localizada no Complexo da Maré. Assim, tanto o exercício epistêmico como o trabalho de campo se fazem como uma espécie de fissura persistente que se nega a aceitar o quadriculamento da educação pública brasileira.