Portal UnirioGuia Telefônico Contatos
Você está aqui: Página Inicial / Niden / Niden - Artigos Publicados

Niden - Artigos Publicados

por Elizabeth Silva última modificação 22/07/2020 23h18
 Venha conhecer o Niden!

 

 

  niden@unirio.br

   Semear 


 

Sustentabilidade- utilização de vegetais na forma integral ou de partes alimentícias não convencionais para elaboração de farinhas

O artigo “Sustentabilidade: utilização de vegetais na forma integral ou de partes alimentícias não convencionais para elaboração de farinhas” é uma produção do grupo de pesquisa, Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) da Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro, coordenado pelas professoras Elaine Lima e Luciana Manhães, do Departamento de Nutrição Fundamental, da Escola de Nutrição. O trabalho aborda a necessidade de pensarmos no aproveitamento integral de alimentos, assim como de plantas usualmente não utilizadas na alimentação. Portanto, o tema central é a sustentabilidade e a busca de novas fontes de alimentícias, nutricionalmente adequadas, com foco a diminuição da fome.
 
O artigo de acesso aberto está disponível em:

Propostas governamentais brasileiras de ações de prevenção e controle do sobrepeso e obesidade sob perspectiva municipal

Propostas Governamentais - Claudia Bocca

O artigo em questão é fruto de uma parceria firmada desde 2014 entre instituições públicas de ensino superior e a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, oficializadas por meio do edital FAPERJ - PPSUS. A pesquisa, que se estendeu até 2018, foi coordenada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com participação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), tendo sido demandada pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro com o intuito de analisar o processo de organização da Linha de Cuidado em Obesidade, que havia sido proposta pelo Ministério da Saúde. A partir de 2019, o grupo que atuou no edital FAPERJ-PPSUS se somou a outro conjunto de pesquisadores a fim de concorrer a uma chamada para financiamento de pesquisas sobre o “Enfrentamento e controle da Obesidade no âmbito do SUS”. A proposta contemplada no Rio de Janeiro intitulada Ações de controle e enfrentamento da obesidade no estado do Rio de Janeiro: pesquisa, formação, monitoramento e difusão (PEO-ERJ) é um projeto interinstitucional, cuja equipe é formada por docentes e pesquisadores da UERJ, UFRJ, UNIRIO, UFF, FIOCRUZ e nutricionistas da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal do Rio de Janeiro, Caxias, Mesquita e Macaé. O projeto contempla o desenvolvimento de três eixos de atuação: 1) 'Pesquisa e Desenvolvimento’ tem como objetivo analisar as estratégias e os desafios da organização e implementação da Linha de Cuidado do Sobrepeso e Obesidade no Estado do Rio de Janeiro; 2) 'Formação’ com a proposta de oferta de cursos de formação para profissionais de saúde, gestores e atores do controle social da Atenção Básica e de Núcleos Ampliados de Saúde da Família (NASF), 3) ‘Monitoramento e Difusão’, no qual foi criado o Observatório de Obesidade, com o objetivo de ampliar a difusão científica em torno dessa temática.

  

O artigo de acesso aberto está disponível em:

Fatores antropométricos relacionados à insatisfação com a imagem corporal em adolescentes

Artigo Antropométrico Relacionados à Insatisfação com a Imagem Corporal em Adolescentes
 
O artigo “Fatores antropométricos relacionados à insatisfação com a imagem corporal em adolescentes”, publicado na Revista Baiana de Saúde Pública, foi elaborado a partir de dados coletados no projeto de pesquisa “Relação entre estado nutricional e insatisfação com a imagem corporal no desenvolvimento de transtornos alimentares em adolescentes de escola pública e privada, Rio de Janeiro”, vinculado ao projeto maior “Avaliação nutricional e de hábitos de vida de estudantes da rede pública de ensino do município do Rio de Janeiro”, coordenados pelos docentes do Departamento de Nutrição Fundamental (DNF) Ana Paula Fernandes Gomes e Marcelo Castanheira Ferreira. Seus resultados corroboram a fragilidade da adolescência para o desencadeamento de possíveis transtornos alimentares ao identificar fatores antropométricos associados a insatisfação com a imagem corporal e apontar a existência de diferenças entre sexos nesta associação.

 

O artigo de acesso aberto está disponível em:

Impact of Bean Consumption on Nutritional Outcomes amongst Adolescents

Article Impact Bean

 
O artigo “Impact of Bean Consumption on Nutritional Outcomes amongst Adolescents”, publicado na revista Nutrients é fruto do doutoramento da docente Ana Paula Fernandes Gomes, no curso de Pós-graduação em Saúde da Criança e da Mulher, no Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz, a partir do estudo do banco de dados do projeto Camelia (cardio-metabólico-renal), realizado pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Seus resultados demonstram o quanto a valorização de um hábito alimentar tradicional brasileiro – o consumo de feijão - contribui para a saúde de adolescentes, protegendo-os da epidemia da obesidade que se alastra pelo Brasil e pelo mundo. Dessa forma, este estudo contribui para o desincentivo ao consumo de ultraprocessados, cada vez mais proeminentes no suprimento de alimentos e que vem substituindo padrões alimentares estabelecidos há muito tempo, baseados em alimentos frescos, minimamente processados e refeições preparadas, especialmente contendo feijão.

 

Fruits and vegetable-processing waste: a case study in two markets at Rio de Janeiro, RJ, Brazil

ARTIGO TALITA

O artigo recém publicado da Doutoranda do PPGAN, Talita Braga, na revista internacional  "Environmental Science and Pollution Research". Este artigo é fruto do mestrado dela, realizado também no PPGAN e envolveu a parceria de 4 instituições, UNIRIO, UERJ, UFSC e USP. O artigo trata de um estudo de caso de duas unidades de hortifruti do Rio de Janeiro e neste trabalho foi feito um levantamento do volume de resíduos que são gerados no processamento de frutas e hortaliças. Os cálculos mostram que em um ano, em apenas uma unidade de hortifruti, podem ser geradas 25 toneladas de resíduos de frutas e hortaliças, como cascas, talos, sementes etc.

 

O artigo de acesso aberto está disponível em: